Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/10969
metadata.dc.type: TCC
Title: A abordagem da colocação pronominal em duas edições da Moderna Gramática Portuguesa, de E. Bechara (1961 e 1999): relações de (des)continuidade com a tradição gramatical do século XX.
metadata.dc.creator: MEDEIROS, Emily Gonçalves de
metadata.dc.contributor.advisor1: Vieira, Francisco Eduardo
metadata.dc.description.resumo: Durante séculos, o português lusitano e o português brasileiro foram considerados uma só língua, mediante o contexto sociopolítico que instituía o Brasil como extensão de Portugal. Porém, o ano de 1822, marco da independência do Brasil, desencadeou uma nova fase na História e na gramatização do país, suscitando discussões sobre a existência de uma língua brasileira e suas particularidades. Este processo viria a se desenvolver, no século seguinte, em meio aos paradigmas da Filologia e da Linguística. De acordo com Gurgel (2008), a colocação pronominal foi um dos principais tópicos sintáticos debatidos no século XIX, e a autora conclui que o período dito científico na abordagem desse fenômeno sintático tem, na verdade, um caráter diversificado, de natureza tanto “filosófica” quanto “científica”, considerando, ainda, questões pedagógicas. Isso nos conduziu a uma indagação acerca do tratamento deste mesmo tópico após os deslocamentos paradigmáticos decorridos no século XX. Evanildo Bechara se destaca como um dos autores mais significativos à gramatização brasileira do século XX, sendo a Moderna Gramática Portuguesa (MGP) uma das obras de maior prestígio. A presente investigação teve como objetivo principal, portanto, compreender a abordagem do fenômeno sintático “colocação pronominal” em duas edições da MGP, de E. Bechara (1961 e 1999), e suas motivações e implicações no processo brasileiro de gramatização do português na segunda metade do século XX. Como resultados gerais, destacamos que a obra de Bechara atravessa a segunda metade do século XX estabelecendo relações de continuidade e descontinuidade com a tradição gramatical filológico-normativa. Este estudo ancora-se no campo teórico-metodológico da Historiografia da Linguística, sobretudo a partir das proposições e considerações de Murray (1994), Koerner (1989; 1996), Swiggers (2010; 2013), Altman (2012) e Batista (2013). Consideramos, portanto, aspectos internos e externos ao recorte estabelecido, direcionando-nos a uma perspectiva crítica de análise da História e dos estudos de língua e linguagem no Brasil.
Abstract: For centuries, Lusitanian Portuguese and Brazilian Portuguese were considered as one language, through the sociopolitical context that established Brazil as an extension of Portugal. However, the year 1822, mark of Brazil‟s independence, triggered a new phase in the history and grammatization of the country, provoking discussions about the existence of a Brazilian language and its peculiarities. This process would develop in the next century, amid the paradigms of Philology and Linguistics. According to Gurgel (2008), the use of pronouns was one of the main syntactic topics debated in the nineteenth century, and the author concludes that the scientific period in which this syntactic phenomenon is approached has in fact a diversified character, both “philosophical” and “scientific”, considering pedagogical questions. This led us to a question about the treatment of this same topic after the paradigm shifts that occurred in the twentieth century. Evanildo Bechara stands out as one of the most significant authors to Brazilian grammar of the twentieth century, and his Moderna Gramática Portuguesa (MGP) is one of the most prestigious works. The present research had as main objective to understand the approach of the use of pronouns in two editions of the MGP, by E. Bechara (1961 and 1999), and its motivations and implications in the Brazilian process of Portuguese grammar in the second half of the twentieth century. As a general result, we highlight that Bechara's work goes through the second half of the 20th century establishing relations of continuity and discontinuity with the philological-normative grammatical tradition. This study is anchored in the theoretical-methodological field of Historiography of Linguistics, especially from the propositions and considerations of Murray (1994), Koerner (1989; 1996), Swiggers (2010; 2013), Altman (2012) and Batista (2013). Therefore, we consider internal and external aspects of the established cut, directing us to a critical perspective of the analysis of History and the study of language and language in Brazil.
Keywords: Historiografia da Linguística
Gramatização brasileira
Gramática Tradicional
Colocação pronominal
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Letras Clássicas e Vernáculas
metadata.dc.rights: Acesso aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/10969
Issue Date: 5-Jun-2018
Appears in Collections:TCC - Letras - Português (Curso presencial)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EGM05062018.pdf980.64 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons