Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11167
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Avaliação da atividade antinociceptiva e anti-Inflamatória do óleo essencial de Lippia pedunculosa
metadata.dc.creator: Braga , Renan Marinho
metadata.dc.contributor.advisor1: Almeida, Reinaldo Nóbrega de
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Pordeus, Liana Clébia de Morais
metadata.dc.description.resumo: A dor é um fator relevante da homeostase e têm como função alertar sobre estímulos que podem provocar lesão tecidual, permitindo que mecanismos de defesa ou fuga sejam adotados. Apesar da variedade de substâncias e do avanço no desenvolvimento das terapias de controle da dor, ainda há uma necessidade urgente de analgésicos potentes e com menos efeitos adversos. Uma alternativa são os produtos naturais, dentre estes, destacam-se os óleos essenciais, que possuem diversos efeitos farmacológicos provenientes da variabilidade químico-estrutural que seus constituintes apresentam. O óleo essencial de Lippia pedunculosa (OELP), possui efeito tripanocida e amebicida já relatados na literatura, entretanto sua ação em modelos experimentais de analgesia e inflamação em camundongos, ainda não foi estudada. Na triagem farmacológica comportamental, as diferentes doses testadas (200, 300, 400 e 750 mg/kg) pela via oral (p.o.) apresentaram alterações comportamentais psicodepressoras, tais como ambulação diminuída, analgesia, ptose palpebral e perda do reflexo auricular. Não foi observado mortes. Nos experimentos subseqüentes foram elencadas as doses de 200, 300 e 400 mg/kg (p.o.). No teste do campo aberto constatou-se que o OELP apresenta um perfil de droga psicodepressora, pois parâmetros como ambulação e rearing dos animais foram significativamente diminuídos. Foi possível confirmar através do teste do rotarod que os animais tratados com o OELP não apresentaram alterações na coordenação motora, descartando-se assim um possível efeito miorrelaxante ou neurotóxico. Seguindo com os modelos para avaliação da atividade antinociceptiva, no teste das contorções abdominais induzidas pelo ácido acético, OELP mostrou-se eficaz, diminuindo o número das contorções. Diminuiu também o tempo de lambida nas duas fases do teste da formalina, mas não foi capaz de aumentar a latência para percepção do estímulo térmico no teste placa quente. Contudo, o efeito antinociceptivo do OELP não foi revertido pela naloxona sugerindo que o mesmo não atua pela via do opióides. Por fim, no modelo da peritonite induzida por carragenina, o OELP diminuiu o influxo de leucócitos no lavado peritoneal. Sendo assim, esses resultados mostram que o OELP tem atividade antinociceptiva e anti-inflamatória, por mecanismos de ação ainda desconhecidos.
Abstract: Pain is a relevant homeostasis element, its main role is to warn about stimuli that can cause tissue damage, allowing that defense or escape mechanisms are adopted. Although numerous substances and progress in the development of pain control therapy, there is still an urgent need for potent analgesics with fewer adverse effects. An alternative are natural products, among these, essential oils stand out, which have different pharmacological effects deriving from the chemical and structural variability of their compounds. The essential oil of Lippia pedunculosa (EOLP), has trypanocide and amebicide effect already reported in the literature, however its action in experimental models of analgesia and inflammation in mice, has not been studied. In the behavioral pharmacological screening, the different doses tested 200, 300, 400 and 750 mg/kg (p.o.) showed psycho depressor behavioral changes such as decreased ambulation, analgesia, ptosis and loss of ear reflex. No deaths were scored. To the subsequent experiments, doses of 200, 300 and 400 mg/kg (p.o.), were chosen. In the open field test it was found that EOLP has a psycho depressor drug profile, because parameters such as ambulation and rearing of animals were significantly decreased. It was confirmed by the rota-rod test, that animals treated with EOLP had no changes in motor coordination, discarding a possible myorelaxant or neurotoxic effect. Following with the models to evaluate the antinociceptive activity, in the writhing-induced by acetic acid test, EOLP was effective, reducing the number of contortions. It also reduces the time licking in both phases of the formalin test, but was not able to increase the latency to thermal stimulus perception in the hot plate test. However, the EOLP analgesic effect was not reversed by naloxone suggesting that it acts by non-opioids pathways. Finally, the model of carrageenan-induced peritonitis, the EOLP decreased the leukocytes migration in the peritoneal fluid. Thus, these results show that EOLP has antinociceptive and anti-inflammatory effect by yet unknown pathways.
Keywords: Óleo essencial
Lippia pedunculosa
Nociceção
Inflamação
Essential oil
Lippia pedunculosa
Nociception
Inflamation
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MORFOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Farmacologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11167
Issue Date: 24-Feb-2016
Appears in Collections:Centro de Ciências da Saúde (CCS) - Programa de Pós-Graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total2,97 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.