Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11172
metadata.dc.type: TCC
Title: Consumo de alimentos ultraprocessados: uma revisão de literatura
metadata.dc.creator: Almeida, Deyse Cristina Alves de
metadata.dc.contributor.advisor1: Moreira, Patrícia Vasconcelos Leitão
metadata.dc.description.resumo: A alimentação saudável é de suma importância, pois tem grande influência no crescimento, no desenvolvimento mental e físico do ser humano e na manutenção da saúde, requerendo cuidados em todas as idades. Com o forte crescimento da indústria alimentar, as pessoas têm adquirido hábitos alimentares inadequados, substituindo alimentos saudáveis, como frutas e verduras, por produtos industrializados, que são ricos em sal, açúcar, óleos, gorduras e outros aditivos, comprometendo a saúde, acarretando, à curto e longo prazo, no surgimento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis, problemas outrora comuns apenas na terceira idade. Diante disso, em 2010, foi criada uma classificação que torna possível agrupar alimentos de acordo com a extensão e finalidade do processamento de alimentos, dividindo-os em três grupos: alimentos não processados ou minimamente processados; ingredientes processados para culinária ou a indústria de alimentos; e produtos ultraprocessados. Diante da importância desta classificação, o Ministério da Saúde decidiu publicá-la na segunda versão do Guia Alimentar para a População Brasileira. Durante o desenvolvimento da segunda edição, a classificação de Monteiro foi aperfeiçoada e os itens de consumo passaram a ser divididos em quatro grupos: alimentos in natura ou minimamente processados; ingredientes culinários processados; alimentos processados; e alimentos ultraprocessados. Em 2016, esse grupo de pesquisadores publicou a versão mais recente, denominando-a de NOVA. A presente pesquisa exploratória da literatura se propõe a explicitar o consumo e hábitos alimentares da infância à fase adulta; avaliar o consumo de alimentos ultraprocessados e sua relação com as doenças crônicas não transmissíveis e verificar a prevalência desse consumo no Brasil e em outros países. A alimentação dos brasileiros encontra-se, de modo geral, inadequada, devido ao elevado índice de ingestão de alimentos ultraprocessados e à diminuição do consumo de alimentos in natura ou minimamente processados. Como consequência, há um aumento no número de pessoas que apresentam DCNT. Estudos aqui analisados, reforçam que esse acontecimento não é exclusivo do Brasil, pois atinge vários outros países.
Abstract: Healthy eating is of paramount importance because it has a great influence on the growth, mental and physical development of the human being and the maintenance of health, requiring care at all ages. With the strong growth of the food industry, people have acquired inadequate food habits, substituting healthy foods such as fruits and vegetables for industrialized products that are rich in salt, sugar, oils, fats and other additives, compromising health, in the short and long term, in the emergence of Chronic Non-communicable Diseases, problems that were common only in the third age. Thus, in 2010, created a classification that makes it possible to group foods according to the extent and purpose of food processing, dividing them into three groups: unprocessed or minimally processed foods; ingredients processed for cooking or the food industry; and ultraprocessed products. Given the importance of this classification, the Ministry of Health decided to publish it in the second version of the Food Guide for the Brazilian Population. During the development of the second edition, Monteiro's classification was improved and consumer items were divided into four groups: in natura or minimally processed foods; processed culinary ingredients; processed foods; and ultraprocessed foods. In 2016, this group of researchers published the latest version, naming it NOVA. This exploratory literature research aims to explain the consumption and eating habits of childhood to adulthood; to evaluate the consumption of ultraprocessed foods and their relationship with chronic non-communicable diseases and to verify the prevalence of this consumption in Brazil and in other countries. Brazilian food is generally inadequate, due to the high rate of ingestion of ultraprocessed foods and the reduction of consumption of fresh or minimally processed foods. As a consequence, there is an increase in the number of people with CNCD. Studies analyzed here, reinforce that this event is not unique to Brazil, as it affects several other countries.
Keywords: Consumo de alimentos
Alimentação
Alimentos industrializados
Indústria de processamento de alimento
Nutrição
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Nutrição
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11172
Issue Date: 29-Nov-2017
Appears in Collections:TCC - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DCAA05072018.pdf381,71 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.