Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11230
metadata.dc.type: TCC
Title: Estado nutricional, consumo alimentar e qualidade de vida de trabalhadores de uma unidade de alimentação e nutrição universitária do município de João Pessoa/PB
metadata.dc.creator: Leite, Emilly dos Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: Gonçalves, Maria da Conceição Rodrigues
metadata.dc.description.resumo: As unidades de alimentação e nutrição fornecem alimentos e para a produção e distribuição é necessário um quadro de trabalhadores adequado. É importante distribuir alimentos de ótima qualidade para os comensais, como também para os funcionários, atendendo às necessidades nutricionais. O excesso de peso e a obesidade são dois grandes problemas da população em geral e dos trabalhadores, desencadeando vários outros tipos de doenças e diminuição da qualidade de vida. Diante disso, buscou-se analisar o estado nutricional dos funcionários, utilizando procedimentos de diagnóstico e associar ao consumo alimentar e à qualidade de vida. Trata-se de um estudo quantitativo com 16 funcionários de ambos os sexos com idade entre 19 e 50 anos. Os dados foram coletados através de um questionário sobre dados sóciodemográfico, ocupacional e história clínica e aplicação de um Recordatório 24 horas (R24). Para avaliação do estado nutricional tomou-se medidas de peso, estatura, Índice de Massa Corporal (IMC) e Circunferência da Cintura (CC), sendo avaliadas segundo critérios da Organização Mundial da Saúde. Calculou-se a Relação Cintura Quadril (RCQ) como indicativo de risco para Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT). Calculou-se também a Relação Cintura Altura (RCA). A amostra foi constituída por 56,25% do sexo masculino e 43,75% do sexo feminino, com média de idade de 34,06 ± 5,00 anos. Os funcionários apresentaram média de peso de 75,45 ± 9,38 kg. A média obtida do IMC dos funcionários foi de 28,54 ± 3,26 kg/m2. Observou-se que a maioria dos funcionários foram classificados com sobrepeso e obesidade. De acordo com a RCA, 81% dos funcionários apresentaram risco para DCNT, já de acordo com a RCQ, os valores de todos os funcionários ficaram bem próximos ao limite recomendado. A média da CC dos trabalhadores foi de 91,94 ± 6,74 cm. Com análise dos R24, a média do consumo diário foi de 3173,703 ± 723,07 kcal, valor maior que o recomendado, onde a média seria de 2518,49 ± 210,93 kcal. Observou-se também que o consumo de Ferro está acima do recomendado, com média de 44,96 ± 14,81 mg, onde a recomendação é de 18 mg e cálcio muito baixo, com média de 391,36 ± 184,17 mg, onde a recomendação é de 1000 mg. Já em relação a qualidade de vida dos funcionários com sobrepeso e obesidade, nenhum relatou que a sua qualidade de vida esteja muito ruim ou ruim, de acordo com fatores físicos, psicológicos, sociais e ambientais. Já 45,45% dos funcionários com excesso de peso referiram não saber identificar se a qualidade de vida é ruim ou boa, ressaltando insatisfações e 54,54% descreveram como boa e muito boa, evidenciando alguns pontos que precisam ser melhorados, como questões financeiras, lazer, sono, serviços de saúde e vida sexual. Conclui-se que ocorre variação quanto ao estado nutricional dos funcionários, onde os resultados podem estar ligados à má alimentação dos trabalhadores e falta de exercício físico. É importante associar intervenções no campo de atuação a fim de prevenir futuros agravos à saúde e à qualidade de vida dos funcionários.
Abstract: Food and nutrition units provide food and for production and distribution an adequate cadre of workers is needed. It is important to distribute high-quality food for the diners as well as for the staff, meeting nutritional needs. Overweight and obesity are two major problems for the general population and for workers, triggering several other types of illness and lowering the quality of life. Therefore, we sought to analyze the nutritional status of the employees, using diagnostic procedures and associating with food consumption and quality of life. This is a quantitative study with 16 male and female employees aged between 19 and 50 years. Data were collected through a questionnaire on socio-demographic, occupational and clinical history data and application of a 24-hour Reminder (R24). To assess the nutritional status, weight, height, Body Mass Index (BMI) and Waist Circumference (WC) were measured according to World Health Organization criteria. The Hip Waist Ratio (WHR) was calculated as an indication of risk for Noncommunicable Chronic Diseases (CNCD). The Height Waist Ratio (RCA) was also calculated. The sample consisted of 56.25% male and 43.75% female, with mean age of 34.06 ± 5.00 years. The employees had a mean weight of 75.45 ± 9.38 kg. The mean BMI of the employees was 28.54 ± 3.26 kg / m2. It was observed that the majority of employees were classified as overweight and obese. According to the RCA, 81% of the employees presented a risk for CNCD, already according to the WHR, the values of all employees were very close to the recommended limit. The mean number of workers' WC was 91.94 ± 6.74 cm. With analysis of R24, the average daily consumption was 3173,703 ± 723,07 kcal, a higher value than the recommended one, where the average would be 2518.49 ± 210.93 kcal. It was also observed that iron consumption is above the recommended level, with a mean of 44.96 ± 14.81 mg, where the recommendation is 18 mg and very low calcium, with a mean of 391.36 ± 184.17 mg, where the recommendation is 1000 mg. Regarding the quality of life of employees with overweight and obesity, none reported that their quality of life is very poor or bad, according to physical, psychological, social and environmental factors. Already, 45.45% of overweight employees reported not being able to identify if their quality of life is poor or good, highlighting dissatisfactions and 54.54% described as good and very good, evidencing some points that need to be improved, such as financial matters , leisure, sleep, health services and sexual life. It is concluded that there is variation regarding the nutritional status of the employees, where the results can be related to poor nutrition of the workers and lack of physical exercise. It is important to associate interventions in the field of action in order to prevent future aggravations to the health and quality of life of employees.
Keywords: Avaliação nutricional
Qualidade de vida
Consumo alimentar
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Nutrição
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11230
Issue Date: 27-Nov-2017
Appears in Collections:TCC - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ESL05072018.pdf724,9 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.