Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11621
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Autoavaliação do desempenho acadêmico e trapaça: Contribuições dos valores e do jeitinho brasileiro
metadata.dc.creator: Moura, Hysla Magalhães de
metadata.dc.contributor.advisor1: Gouveia, Valdiney Veloso
metadata.dc.description.resumo: A presente dissertação objetivou propor um modelo explicativo da autoavaliação do desempenho acadêmico a partir da trapaça acadêmica, valores humanos e do jeitinho brasileiro. Para tanto, dois estudos foram conduzidos. No Estudo 1, além da validação das medidas de trapaça, objetivou-se conhecer as relações estabelecidas com a autoavaliação do desempenho acadêmico, para que então se pudesse propor um modelo explicativo. Logo, decidiu-se dividir este estudo em três partes: Propriedades psicométricas, Correlação e Modelo Explicativo. Para a Análise Fatorial Exploratória das medidas de trapaça acadêmica participaram 212 estudantes com idade média de 16 anos. Os resultados evidenciaram estruturas bifatorias com indicadores aceitáveis de fidedignidade: EAT (Alfa de Cronbach = 0,85 no primeiro fator; Alfa de Cronbrach = 0,79 no segundo fator) e EMT (Alfa de Cronbach =0,84 no primeiro fator; Alfa de Cronbrach = 0,708 no segundo fator). Posteriormente, realizou-se a Análise Fatorial Confirmatória a qual contou com a participação de 229 estudantes com idade média de 16 anos. Os achados demonstraram que as estruturas bifatoriais da EAT (e.g., GFI = 0,90; RMSEA = 0,07) e da EMT (e.g., GFI = 0,90; RMSEA = 0,05) são aceitáveis. Por fim, para a realização da Correlação de Pearson e do modelo explicativo, reagrupou-se toda a amostra utilizada, de modo que se contou com a participação de 441 estudantes do Ensino Médio. Para a realização destas últimas análises utilizou-se os seguintes instrumentos: Questionário de Valores Básicos (QVB), Escala de Admissão de Trapaça (EAT), Escala de Motivação de Trapaça (EMT), Escala de Autoavaliação do Desempenho Acadêmico (EADA) e questionátio sóciodemográfico. Os resultados despontam que a trapaça está positivamente relacionada com os valores de realização e experimentação, enquanto que está negativamente relacionada com o valor normativo. Embora não se tenha verificado uma relação significativa entre a trapaça e o valor interativo, decidiu-se por incluí-lo no modelo tento vem vista o arcabouço teórico. Para mais, verificou-se que a trapaça acadêmica está negativamente relacionada com a autoavaliação do desempenho acadêmico. Ainda, no Estudo 1 foi proposto e testado um modelo explicativo, contando com a trapaça acadêmica e os valores humanos, em suas orientações pessoal e social, como variáveis antecedentes, enquanto que a autoavaliação do desempenho acadêmico assumiu papel de variável critério. Logo, os índices de ajuste demostraram que o modelo explicativo é aceitável (e.g. GFI= 0,95; RMSEA=0,11). Já no Estudo 2, objetivou-se testar um modelo alternativo, de modo que reaplicou-se a estrutura encontrado no Estudo 1, acrescendo a variável jeitinho brasileiro. Participaram deste estudo 205 universitários, com idade média de 24 anos, onde aplicou-se os mesmos instrumentos utilizados do estudo anterior, acrescendo a Escala de Jeitinho Brasileiro (EJB). Os achados despontam que este último modelo apresentou melhores índices de ajuste do que o modelo encontrado anteriormente (e.g. GFI= 0,94; RMSEA=0,07). Confia-se ter contribuído para a literatura na área fornecendo um melhor entendimento sobre os fatores explicativos da autoavaliação do desempenho acadêmico.
Abstract: This work aimed to propose an explanatory model of self-evaluation of academic performance from the academic cheating, human values and the Brazilian way. For this, two studies were conducted. In Study 1, as well as validation of cheating measures aimed to meet the relationships established with the self-evaluation of academic performance, so that it could propose an explanatory model. Therefore, it was decided to divide this study into three parts: Psychometric properties, Correlation and Explanatory Model. For Exploratory Factor Analysis of academic cheating measures participated 212 students with an average age of 16 years. The results showed bifatorias structures with acceptable reliability indicators EAT (Cronbach's alpha = 0.85 in the first factor; alpha = 0.79 Cronbrach the second factor) and EMT (Cronbach's alpha = 0.84 in the first factor, Alfa of Cronbrach = 0.708 in the second factor). Later, there was the Confirmatory Factor Analysis which included the participation of 229 students with an average age of 16 years. The findings showed that bifatoriais structures EAT (eg, GFI = 0.90, RMSEA = 0.07) and EMT (eg, GFI = 0.90, RMSEA = 0.05) are acceptable. Finally, for the realization of the Pearson correlation and the explanatory model, regrouped the entire sample used, so that it had the participation of 441 high school students. For the realization of the latter analysis, we used the following instruments: Basic Values Questionnaire (QVB), Trickery Admission Scale (EAT), Trickery Motivation Scale (EMT), Self-Assessment Scale of Academic Performance (EADA) and questionátio sociodemographic. The results emerge that cheating is positively related to the realization values and experimentation, while is negatively related to the normative value. While there has not been a significant relationship between cheating and interactive value, it was decided to include it in the model try to come view the theoretical framework. Furthermore, it was found that academic cheating is negatively related to the self-evaluation of academic performance. Still, in Study 1 was proposed and tested an explanatory model, relying on academic cheating and human values in their personal and social guidelines, as independent variables, while the self-evaluation of academic performance assumed role criterion variable. Soon, the fit indices demonstrated that the explanatory model is acceptable (eg GFI = 0.95, RMSEA = 0.11). In the Study 2 aimed to test an alternative model, so we reapplied the structure found in Study 1, adding the variable Brazilian way. The study included 205 students with a mean age of 24 years, which applied the same instruments used in the previous study, adding the Brazilian Jeitinho Scale (EJB). The findings emerge that this latest model showed better fit indexes than the model previously found (eg GFI = 0.94, RMSEA = 0.07). Trust to have contributed to the literature in the area by providing a better understanding of the factors which explain the self-evaluation of academic performance.
Keywords: Autoavaliação do desempenho acadêmico
Trapaça acadêmica
Valores humanos
Jeitinho brasileiro
Self-evaluation of academic performance
Academic cheating
Human values
Brazilian “jeitinho”.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Psicologia Social
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11621
Issue Date: 21-Mar-2016
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total1,96 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.