Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11740
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Corpos separados e mente sã: o papel do enfrentamento religioso no divórcio
metadata.dc.creator: Amorim, Sonáira Cardoso de
metadata.dc.contributor.advisor1: Fonseca, Patrícia Nunes da
metadata.dc.description.resumo: O ser humano é um ser social e, portanto, não vive de forma isolada, aspecto próprio de seu processo de socialização que, aliada ao instinto de autopreservação, o instiga a buscar um companheiro, ou seja, a se casar. Embora o divórcio pareça a melhor opção para um casal que considera a continuação matrimonial impossível, ele parece que sempre será vivenciado como um momento extremamente estressante e doloroso. Desta forma, é inegável o quanto seu bem-estar psicológico é afetado. Assim, preservar a saúde de modo geral em meio ao colapso é algo que talvez o indivíduo não consiga sozinho ou somente com seus recursos internos. E em alguns casos é na religião que o sujeito vai buscar formas de enfrentar a crise. Os mecanismos de enfrentamento encontrados na religião são conhecidos pela literatura como coping religioso-espiritual – estratégias de enfrentamento e de adaptação, envolvendo esforços cognitivos e comportamentais no manejo de situações e demandas internas que extrapolam os recursos pessoais do indivíduo. Frente ao exposto, o presente estudo tem por objetivo geral saber em que medida as estratégias de coping religioso-espiritual predizem a saúde dos sujeitos no divórcio; especificamente, pretende-se identificar que fatores de coping religioso-espiritual são mais evidentes nos indivíduos que vivenciaram uma separação; e investigar a influência das variáveis sociodemográficas (sexo, idade, classe social, religião, tempo de casamento) na saúde/bem-estar psicológico dos sujeitos divorciados. Participaram do estudo 100 indivíduos, com idade entre 23 e 56 anos, sendo 57% do sexo feminino e 43% do masculino, 65% com filhos, 28% possuem ensino superior, 46% são católicos e 26% frequentam seu culto religioso a mais de 31 anos. Quanto a metodologia, utilizou-se um Questionário sócio demográfico, a Escala de Coping Religioso Espiritual e o QSG-12. Os dados foram analisados através do SPSS 21.0. Além disso, executou-se uma correlação de Pearson, o Test T Student, para comparar médias e a MANOVA, para averiguar a influências das variáveis sociodemográficas. Os resultados apontaram que não existe uma diferença significativa para nenhuma das dimensões do CRE e QSG quanto aos participantes possuírem filhos e nem quanto ao sexo. No entanto, aqueles que relataram ir à igreja quatro ou mais vezes apresentaram maiores índices nas dimensões positivas do coping religioso-espiritual. Os participantes apresentaram também uma maior prevalência da dimensão positiva do CRE do que da dimensão negativa; podendo observar que os indivíduos que apresentam as estratégias de coping religioso positivo apresentaram correlação positiva com a dimensão ansiedade. Enquanto as estratégias de coping religioso negativo demonstraram correlação positiva e significativa com as dimensões do QSG - ansiedade e depressão. Isto revela que, quanto mais as pessoas procuram enfrentar seus problemas em parceria com a religião, buscando conforto e suporte espiritual menos irá demonstrar ansiedade e depressão, obtendo assim, mais saúde geral. Palavras-chave: Divórcio; Coping-religioso; Bem-Estar Psicológico.
Abstract: The humans are a social being, therefore does not live in isolation. They need to be around other people, which is an aspect of their own socialization process along with the self-preservation instinct, which instigates them to seek a mate, in other words, get married. Although the divorce seems to be the only option for a couple that considers the idea of staying married as something impossible to achieve; divorce seems to always be a painful and stressful process. Thus, preserve health in general amid the collapse is something that perhaps the individual can not do alone or only with their internal resources. In some cases, the subject seeks support in the religion to tackle the crisis. The mechanisms found in religion are known in the literature as a religious/spiritual coping - which are coping and adaptation strategies, involving cognitive and behavioral efforts to manage situations and internal demands that go beyond the individual's personal resources. Based on that, the present study has the general objective to find out how the strategies of religious/spiritual coping affects the health of individuals in divorce; specifically, we intend to identify which religious/spiritual coping factors are more evident in individuals who have experienced a divorce; and investigate the socio demographic influence (like gender, age, social class, religion, marriage time) in the health / psychological well-being of divorced individuals. This study included 100 subjects, aged 23 to 56 years, 57% female and 43% male, 65% with children, 28% have higher education, 46% are Catholic and 26% attend their religious worship for more than 31 years. As for methodology, we used a socio demographic questionnaire, the Religious/Spiritual coping scale and the GHQ-12. Data were analyzed using SPSS 21.0. In addition, we performed a Pearson correlation, aiming to seek the relationship among the dimensions of the variables, Test T Student to compare means and MANOVA to verify the influence of socio demographic variables. The results show that there is no significant difference for any of the dimensions of the CRE and GHQ regarding whether participants having children or not and about the gender. However, those who reported going to church four times or more showed higher rates in positive dimensions of religious/spiritual coping. Participants also had a higher prevalence of positive dimension of CRE than the negative dimension; may note that people who have showed a positive religious/spiritual coping strategies, also showed a positive correlation with the anxiety dimension. While negative religious coping strategies showed significant positive correlation with the dimensions of the GHQ - anxiety and depression. This shows that, as more people seek to address their problems in partnership with religion, seeking comfort and spiritual support will demonstrate less anxiety and depression, thus obtaining more general health.
Keywords: Divórcio
Coping-religioso
Bem-Estar Psicológico
Divorce
Coping-Religious
Psychological welfare
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciência das Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11740
Issue Date: 21-Jun-2016
Appears in Collections:Centro de Educação (CE) - Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total903,66 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons