Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11825
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Coturno rosa e ordem unida? Uma análise da homofobia entre policiais militares na Paraíba
metadata.dc.creator: Andrade, Nayhara Hellena Pereira
metadata.dc.contributor.advisor1: Ramalho, Luziana Ribeiro
metadata.dc.description.resumo: É sabido que as relações homoafetivas sempre foram alvo de preconceitos e de estigmatizações em diferentes sociedades. Tal fenômeno aguçou-nos a curiosidade teórica a partir de nossa experiência profissional, posto que, trabalhando como policial militar, foi possível observar situações próprias de uma profissão marcada pela virilidade e pelo machismo, em que predomina uma crença masculina com forte viés estigmatizador. Assim, o objetivo desta dissertação foi o de analisar os comportamentos de um grupo constituído de policiais militares do estado da Paraíba que apresentam orientação homoafetiva, diante dos padrões de masculinidade institucionalizados e legitimados na Corporação, por meio de suas normativas, em especial, o Decreto nº 8.962 de 11 de março de 1981, que dispõe sobre o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar do Estado da Paraíba e dá outras providências. A pesquisa teve caráter qualitativo, com níveis de campo, documental, bibliográfica, de inspiração etnográfica. Para a coleta dos dados, foi utilizado um roteiro de entrevista semiestruturada, e para a interpretação dos dados, a análise do discurso. Foi trabalhado o processo de dominação masculina e estabelecidas as diferenças entre os sexos, segundo as distinções biológicas, instituindo- se uma valorização do masculino em detrimento das características relacionadas ao “ser mulher”. Também se discutiu sobre as formas de exercitar a austeridade moral, quando foram confirmadas a proibição dos comportamentos homoafetivos, a performatividade dos policias militares sobre a obrigação de corresponder ao habitus militar e as ações de resistência à normalização de suas condutas norteadas pela virilidade. Por último, procedeu-se à análise das entrevistas realizadas com os policiais de diferentes unidades operacionais da Paraíba. Os resultados apontaram que esses profissionais estilizam seus corpos para atender às performances de gênero impostas segundo o sexo biológico, reproduzindo a heterossexualidade compulsória. Entretanto, foi possível identificar paródias sobre o habitus militar por parte de policiais militares homoafetivos, como resistência às normativas institucionais.
Abstract: It is well known that homosexual relationships have always been the target of prejudice and stigmatization in different societies. This phenomenon has sharpened our theoretical curiosity from our professional experience, since, working as a military police officer, it was possible to observe specific situations of a profession marked by virility and chauvinism, dominated by a masculine belief with a strong stigmatizing bias. The aim of this dissertation was to analyze the behavior of a group of military police officers from the State of Paraíba, who presented a homosexual orientation, in view of the institutionalized and legitimized masculinity standards in the Corporation, through its regulations, in particular, Decree No. 8,962 of March 11, 1981, which provides for the Disciplinary Regulations of the Military Police of the State of Paraíba and provides other measures. The research had a qualitative character, with levels of field, documentary, bibliographical, of ethnographic inspiration. For the data collection, a semi-structured interview script was used, and for the interpretation of the data, the speech analysis. The process of masculine domination was worked out and the differences between the sexes were established according to the biological distinctions, instituting a valorization of the masculine to the detriment of the characteristics related to "being a woman". We also discussed ways of exercising moral austerity, when the prohibition of homosexual behavior was confirmed, the performativity of the military police on the obligation to respond to the military habitus and the actions of resistance to the normalization of their behavior guided by virility. Finally, the interviews with the police of different operational units of Paraíba were analyzed. The results showed that these professionals stylized their bodies to meet the gender performances imposed according to biological sex, reproducing compulsory heterosexuality. However, it was possible to identify parodies about the military habitus by homosexual officers, as resistance to institutional norms.
Keywords: Policial militar
Masculinidade
Homoafetividade
Performatividade
Military police
Masculinity
Homosexuality
Performativity
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Direitos Humanos
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11825
Issue Date: 20-Jul-2017
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total1,33 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons