Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/12787
metadata.dc.type: Tese
Title: Estimativa de chance para sangramento gengival autorreferido em adolescentes brasileiros, segundo fatores sociodemográficos, marcadores sanguíneos e hábitos de saúde bucal
metadata.dc.creator: Carneiro, Tamires Vieira
metadata.dc.contributor.advisor1: Vianna, Rodrigo Pinheiro de Toledo
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Nascimento, João Agnaldo do
metadata.dc.description.resumo: INTRODUÇÃO: A inflamação gengival (gengivite), que é sinalizada pelo sangramento, além de ser fator de risco para periodontite, tem também papel potencial para doenças cardiovasculares na idade adulta. OBJETIVO: Estimar os riscos, razão de chances, entre adolescentes brasileiros, incluindo as características sociodemográficas, hábitos de saúde bucal e marcadores sanguíneos para a ocorrência de sangramento gengival autorreferido. MÉTODOS: Foram utilizados dados secundários de uma subamostra de 38.069 adolescentes que forneceram amostra de sangue no ERICA (Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes). A amostra do ERICA contou com aproximadamente 85.000 estudantes adolescentes de ambos os sexos, na faixa etária de 12 a 17 anos e sua coleta de dados deu-se entre 2013 e 2014. No presente trabalho, além da descrição dos dados, construiu-se modelos de regressão logística para estimar a chance de sangramento gengival autorreferido em adolescentes a partir de características sociodemográficas, hábitos de saúde bucal e marcadores sanguíneos, tanto para o Brasil, como para as regiões geográficas. Entraram no modelo de regressão logística as variáveis estatisticamente significantes na seleção inicial feita por meio do teste Qui-quadrado (α=20%). Após esse procedimento, foi adotado um nível de significância estatístico mais rigoroso (α=5%), e apenas as variáveis que apresentaram significância foram mostradas nos resultados. As análises foram feitas no STATA (versão 14.2). RESULTADOS: Considerando a amostra total (Brasil), os principais fatores estatisticamente significantes para estimar a chance do adolescente referir o sangramento gengival foram: ser do sexo feminino (OR 1,56 IC95% 1,39-1,79) (comparado ao sexo masculino), faixa etária de 15-17 anos (OR 1,25 IC95% 1,08-1,44) (em comparação com 12 a 14 anos), cor preta (OR 1,27 IC95% 1,04-1,56) ou parda (OR 1,23 IC95% 1,06-1,43) (em comparação com branca), escovação dentária diária apenas uma vez ao dia (em comparação com duas, três e mais de três vezes (OR 1,56 IC95% 1,08-2,27; OR 1,89 IC95% 1,30-2,70 e OR 2,27 IC95% 1,61-3,23, respectivamente), e não usar fio dental (OR 1,18 IC95% 1,031,35) (comparado aos que fazem uso). Quanto aos modelos de Regressão Logística para cada região geográfica, algumas variáveis que foram significantes no modelo Brasil não foram para os modelos regionais. Nenhuma variável além das que foram significantes no modelo brasileiro apresentou significância nos modelos regionais. CONCLUSÕES: Observou-se que 50,16% eram do sexo feminino e a cor mais referida foi a parda (48,06%). Um percentual de 53,40% estava na faixa etária de 15 a 17 anos. Dos adolescentes pesquisados, 17,94% referiram apresentar sangramento gengival. Com relação aos hábitos de saúde bucal, quase a metade dos adolescentes afirmou ter ido ao dentista há menos de 6 meses (49,04%). O número de escovações mais frequente foi de 3 vezes (44,59%). Uma parcela de 47,41% referiu não fazer uso do fio dental na higiene bucal. A maioria apresentou níveis desejáveis de LDL (76,97%), Triglicerídeos (80,20%), Colesterol total (55,64%), HDL (53,17%), Insulina (87,53%) e Glicemia (95,85%). Quanto a análise inferencial, ser do sexo feminino, ter entre 15 e 17 anos, cor preta ou parda, fazer escovação apenas uma vez ao dia e não usar fio dental aumentou em pelo menos 4 vezes a chance de referir a presença de sangramento gengival em adolescentes brasileiros. Ao dividir a amostra por regiões, encontrou-se que, para os adolescentes da região Norte, ser do sexo feminino, da cor preta e não fazer uso do fio dental na higiene bucal, aumentou a chance de relatar sangramento gengival em 2,37 vezes. Para a região Nordeste, não fazer uso do fio dental na higiene bucal aumentou a chance de referir sangramento gengival em 1,32 vezes. Na região Sudeste, ser do sexo feminino, da faixa etária de 15 a 17 anos e fazer escovação apenas uma vez ao dia, aumentou a chance de sangramento gengival em 4,31 vezes. Para a região Sul, ser do sexo feminino e fazer escovação apenas uma vez ao dia aumentou a chance de sangramento gengival em 6,59 vezes. Quanto a região Centro-Oeste, ser do sexo feminino e não fazer uso do fio dental na higiene bucal aumentou a chance de referir sangramento gengival em 2,31 vezes. Os marcadores sanguíneos avaliados não mostraram associação com sangramento gengival autorreferido. Portanto, a sua chance pode ser estimada a partir de fatores sociodemográficos, assim como fatores relacionados à saúde bucal, mas de acordo com a metodologia utiliza neste estudo, não se encontrou evidência de que sangramento gengival tenha associação com o metabolismo lipídico ou alterações séricas em adolescentes brasileiros.
Abstract: INTRODUCTION: Gingival inflammation (gingivitis), which is signaled by bleeding, besides being a risk factor for periodontitis, has also a potential role for cardiovascular diseases in adulthood. OBJECTIVE: To estimate the risks, odds ratio, among Brazilian adolescents, including sociodemographic characteristics, oral health habits and blood markers for the occurrence of self - reported gingival bleeding. METHODS: Secondary data was used from a subsample of 38,069 adolescents who provided blood samples at ERICA (Study of Cardiovascular Risks in Adolescents). The ERICA sample had approximately 85,000 adolescent students from both sexes, in the age group 12 to 17 years old and their data collection took place between 2013 and 2014. In this study, in addition to the description of the data, models were constructed of logistic regression to estimate the chance of self-reported gingival bleeding in adolescents from sociodemographic characteristics, to oral health habits and blood markers, both for Brazil and for the geographical regions. Statistically significant variables were entered into the logistic regression model in the initial selection using the Quisquare test (α = 20%). After this procedure, a more strict level of statistical significance was adopted (α = 5%), and only the variables that showed significance were shown in the results. The analyzes were done in STATA (version 14.2). RESULTS: Considering the total sample (Brazil), the main statistically significant factors to estimate the odds of adolescent gingival bleeding were: female (OR 1.56 95%CI 1.39-1.79) (compared to gender male), age range of 15-17 years (OR 1.25 95%CI 1.08-1.44) (compared to 12 to 14 years), black color (OR 1.27 95%CI 1.04-1,56) or brown (OR 1.23 95%CI 1.06-1.43) (compared to white), daily tooth brushing only once a day (compared to two, three and more than three times (OR 1,56 95%CI 1.08-2.27, OR 1.89 95%CI 1.30-2.70 and OR 2.27 95%CI 1.61-3.23, respectively), and did not use dental floss (OR 1,18 95%CI 1.03-1.35) (compared to the ones that use them) .With regard to Logistic Regression models for each geographic region, some variables that were significant in the Brazil model were not for the regional models. that were significant in the Brazilian model presented significant in regional models. CONCLUSIONS: It was observed that 50.16% were female and the most commonly reported color was brown (48.06%). A percentage of 53.40% was in the age range of 15 to 17 years. Of the adolescents surveyed, 17.94% reported having gingival bleeding. Regarding oral health habits, almost half of the adolescents reported having gone to the dentist less than 6 months ago (49.04%). The most frequent number of brushings was 3 times (44.59%). A portion of 47.41% referred not to use dental floss in oral hygiene. The majority of patients presented desirable levels of LDL (76.97%), Triglycerides (80.20%), Total Cholesterol (55.64%), HDL (53.17%), Insulin (87.53%) and Glycemia, 85%). As for inferential analysis, being female, between 15 and 17 years of age, black or brown, brushing once a day and not using dental floss increased by at least 4 times the chance of referring to the presence of gingival bleeding in Brazilian adolescents. When dividing the sample by regions, it was found that, for adolescents from the North region, being female, of black color and not using floss in oral hygiene, increased the chance of reporting gingival bleeding in 2.37 times. For the Northeast region, not using dental floss in oral hygiene increased the chance of referring gingival bleeding by 1.32 times. In the Southeast region, being female, aged 15 to 17 years and brushing only once a day, increased the chance of gingival bleeding in 4.31 times. For the South region, being female and doing brushing only once a day increased the chance of gingival bleeding by 6.59 times. As for the Midwest region, being female and not using dental floss in oral hygiene increased the chance of referring to gingival bleeding in 2.31 times. The blood markers evaluated showed no association with self-reported gingival bleeding. Therefore, their chance can be estimated from sociodemographic factors, as well as factors related to oral health, but according to the methodology used in this study, there was no evidence that gingival bleeding is associated with lipid metabolism or serum changes in Brazilian adolescents.
Keywords: Saúde bucal
Doenças da gengiva
Adolescente
Modelos logísticos
Oral health
Gingival diseases
Adolescent
Logistic models
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências Exatas e da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/12787
Issue Date: 7-Dec-2017
Appears in Collections:Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) - Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total1,51 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons