Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13019
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Uso de gráficos de controle no monitoramento de infecções relacionadas à assistência à saúde na unidade de terapia intensiva
metadata.dc.creator: Dantas, Thayana Rose de Araújo
metadata.dc.contributor.advisor1: Lima Filho, Luiz Medeiros de Araujo
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Silva, Cesar Cavalcanti da
metadata.dc.description.resumo: As infecções exercem um impacto significativo sobre os quadros de morbidade e mortalidade, acarretando grande dispêndio de recursos, sendo desta forma reconhecidas como um grave problema de saúde pública. Os gráficos de controle na área da saúde podem ser aplicados no cenário da vigilância e no controle de infecções. O presente estudo tem como objetivo utilizar gráficos de controle no monitoramento de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) como subsídio para os processos de tomada de decisão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral. Caracteriza-se por ser um estudo epidemiológico observacional, descritivo, ecológico, com abordagem quantitativa. Foram usados dados de fonte secundária relativos a consulta aos boletins epidemiológicos mensais emitidos pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) de um hospital universitário, com estatísticas do período de janeiro de 2014 a setembro de 2017. Para o acompanhamento da ocorrência de IRAS na UTI, utilizando-se os gráficos de controle, foram elencadas as seguintes variáveis: pacientes IRAS, IRAS, pacientes-dia, taxa IRAS, ITU (infecção do trato urinário), CV(cateter vesical)-dia, Di (densidade de incidência)-ITU, PNM (pneumonia), VM (ventilação mecânica)-dia, Di-PNM, ICS (infecção de corrente sanguínea), CVC (cateter venoso central)dia e Di-ICS. Os gráficos de controle foram elaborados e avaliados e depois procedeu-se com o monitoramento das variáveis. Levando em consideração o tipo de variável a ser monitorada, foram selecionados os seguintes gráficos para atributos: gráfico u, p e beta. O gráfico u monitorou a infecção geral por meio da variável taxa IRAS e os gráficos p e beta monitoraram a proporção de pacientes com infecção, utilizando as variáveis paciente IRAS e pacientes-dia e as infecções específicas (ITU, PNM e ICS). Por fim, o uso de gráficos de controle pode ser útil no monitoramento das IRAS na UTI. Os gráficos aplicados neste estudo mostraram um bom desempenho no acompanhamento dos indicadores ao longo do tempo. Vale ressaltar que esse método de controle permitiu a vigilância das infecções de modo eficiente, uma vez que possibilitou a visualização das tendências de aumento e redução das infecções em tempo hábil, sendo um importante recurso de tomada de decisão para a gestão hospitalar. É possível vislumbrar a sua utilização nos mais variados serviços sendo aplicados para diferentes indicadores de saúde.
Abstract: Infections have a significant impact on morbidity and mortality, lead to high expenditure of resources, and are thus recognized as a serious public health problem. Health control charts can be applied in the surveillance setting and control of infections. The aim of the present study is to use control charts in the monitoring of Healthcare-Associated Infections (HAIs) as a support for decision-making processes in the general Intensive Care Unit (ICU). This is an observational, descriptive, ecological epidemiological study with a quantitative approach. Secondary source data from consultations to monthly epidemiological bulletins issued by the Hospital Infection Control Commission (Portuguese acronym: CCIH) of a university hospital were used, and they included statistics from January 2014 to September 2017. The following variables were chosen for monitoring the occurrence of HAIs in ICUs by using control charts: HAIs’ patients, HAIs, patients/day, HAIs rate, UTI (urinary tract infection), UC (urinary catheter)/day, ID (incidence density)-UTI, ID, PNM (pneumonia), MV (mechanical ventilation)-day, ID-PNM, BI (bloodstream infection), CVC (central venous catheter)-day and ID-BI. The control charts were developed and evaluated, and then variables were monitored. Taking into account the type of variable monitored, the following charts were selected for attributes: u, p and beta charts. The u-chart monitored the general infection using the HAIs rate variable. P and beta charts monitored the proportion of patients with infection by using the HAIs patient and patient/day variables, and the specific infections (UTI, PNM and BI). Finally, the use of control charts can be useful for monitoring HAIs in the ICU. The charts applied in this study demonstrated good performance for monitoring the indicators over time. This control method allowed the efficient surveillance of infections, since it enabled the visualization of trends of increase and reduction of infections in a timely manner. This is an important resource of decision making for hospital management. It is possible to glimpse its use in the most varied services with application to different health indicators.
Keywords: Gráficos de controle
Infecção hospitalar
Unidades de terapia intensiva
Control charts
Hospital infection
Intensive care units
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências Exatas e da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde
metadata.dc.rights: Acesso aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13019
Issue Date: 26-Feb-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) - Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total3,61 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons