Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13020
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Validação e adaptação do inventário de desordem alimentar para o contexto brasileiro
metadata.dc.creator: Tenório, Juliana Maria Vieira
metadata.dc.contributor.advisor1: Andrade, Josemberg Moura de
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Coêlho, Hemílio Fernandes Campos
metadata.dc.description.resumo: O principal objetivo da presente dissertação foi adaptar e obter evidências de validade de construto do Inventário de Desordem Alimentar (EDI-3) para o contexto brasileiro. O estudo foi dividido em dois: Estudo 1 (Estudo Piloto) e Estudo 2 (Estudo Final). Os instrumentos utilizados foram a EDI-3 e um questionário sociodemográfico. A população alvo da pesquisa foi constituída por três tipos de amostras: 1. Adolescentes não clínicos; 2. Adultos não clínicos; e 3. Adolescentes e adultos clínicos diagnosticados com Transtornos Alimentares (TA) ou com características de TA e comorbidades associadas, com idades de 14 a 18 anos. No estudo 1 participaram 169 pessoas, para os grupos não clínicos, com idades variando entre 14 e 49 anos (M = 18,96; DP = 4,41), destes 45,56% adolescentes e 54, 44% adultos. A amostra clínica foi composta por 19 indivíduos com idades variando entre 15 e 42 anos (M = 23,47; DP = 7,26), predominantemente, do sexo feminino (57,9%). Após a realização da AFE, os resultados indicaram KMO de 0,827 para o componente EDRC e fixou-se o número de fatores em 3. A fidedignidade do alfa de Croncbach foi de 0,866 para todas as amostras juntas. Já o componente GPMC apresentou KMO de 0,694 e optou-se fixar 8 fatores. O alfa para o GPMC foi igual a 0,895. A escala Ascetismo apresentou fidedignidade do alfa de Cronbach inaceitáveis. Isso pode ter acontecido pelo fato da escala avaliar questões muito subjetivas relacionadas desde ideais espirituais a questões de autonegação. O Estudo 2 propôs confirmar a estrutura fatorial do EDI-3 e elaborar um modelo de tomada de decisão de classificação dos TA. O tamanho de amostra final, para amostras não clínicas, foi obtido pela amostragem estratificada proporcional ao tamanho dos estratos, com base nos dados do Estudo 1. Para a amostra clínica utilizou-se um cálculo do tamanho de amostra para estimação de médias com população de tamanho desconhecido baseado na Amostragem Aleatória Simples. Participaram do Estudo 2 (Estudo Final) 583 pessoas nos grupos não clínicos com idades entre 14 e 51 anos (M = 22,33; DP = 5,63), sendo composto por 71 adolescentes (12,17%) e 512 adultos (87,82%). A amostra clínica foi composta por 81 participantes, com idades variando de 15 a 51 anos (M = 28,68; DP = 8,05). Através da AFC no componente EDRC todos os índices de ajustes foram satisfatórios. Para o componente GPMC foram testados dois modelos, sendo o melhor modelo aquele com os componentes IC, IPC, APC e OC e exclui a escala MF. O modelo de regressão logística proposto constatou que o EDRC é o componente com maior impacto, uma unidade incremental na variável independente, aumentará, na escala Odds Ratio, 7,3% do indivíduo possuir características de TA e comorbidades. Mediante a curva ROC averiguou-se que a taxa de acerto do modelo ajustado para o EDRC é de 84% enquanto a taxa de erro é de 16%. Já para o GPMC, 67,9% para a taxa de acerto e 18,5% para a de erro. No estudo foi proposto um modelo de decisão para a classificação dos TA, que acredita ter sido alcançado. O modelo de decisão propõe que pacientes com escores maiores ou iguais ao terceiro quartil sejam classificados como possuindo características de TA e comorbidades associadas. A longo prazo, almeja-se que essa medida possa ser apta para o uso em pesquisas e no contexto da avaliação clínica, visando promover posteriores intervenções.
Abstract: The main objective of this dissertation was to adapt and obtain evidence of construct validity of the Eating Disorder Inventory (EDI-3) for Brazilian context. The study has been divided into two: Study 1 (Pilot Study) and Study 2 (Final Study). The instruments used were EDI-3 and a sociodemographic questionnaire. The target population of the research consisted of three types of samples: 1- Non-clinical adolescents; 2- Non-clinical adults; and 3- Adolescent and clinical adults diagnosed with Eating Disorders or with ED traces and associated comorbidities impact, ages 14to 18 years. In the study 1, 169 of the 45.56% of the adolescents and 54.44% of the adults, aged between 14 and 49 years old (M = 18.96, SD = 4.41) participated in the non-clinical groups. The clinical sample consisted of 19 individuals with ages between 15 and 42 years old (M = 23.47; SD = 7.26), predominantly female (57.9%). After the EFA was performed, the results indicated KMO of 0.827 for the EDRC component and the number of factors was set at 3. Croncbach's alpha was 0.866 for all gathering samples. The GPMC component has presented KMO of 0.694 and it was decided to fix 8 factors. The alpha for the GPMC was 0.895. The asceticism scale presented reliability of Cronbach's alpha unacceptable. This may have happened because the scale evaluates very subjective issues related from spiritual ideals to questions of self-denial. Study 2 proposed to confirm the factorial structure of the EDI-3 and to elaborate a model of decision-making to classify the ED. The final sample size for non-clinical samples have been obtained by stratified sampling proportional to stratum size, based on the data from Study 1. A sample size calculation was used for the estimation of means with a population of unknown size based on Simple Random Sampling. A total of 583 people were included in study 2 in the non-clinical groups aged 14 to 51 years old (M = 22.33; SD = 5.63), it was composed of 71 adolescents (12.17%) and 512 adults (87.82%). The clinical sample consisted of 81 participants between 15 and 51 years old (M = 28.68; SD = 8.05). Through the CAF in the EDRC component, all adjustment indices were satisfactory. For the GPMC component, two models were tested the best model being the one with the IC, IPC, APC and OC components and excluding the MF scale. The proposed logistic regression model found that the EDRC is the component with the greatest impact, an incremental unit in the independent variable will increase on the Odds Ratio scale, 7.3% of the individual has traits of BP and comorbidities impact. Using the ROC curve it was found that the adjusted model hit rate for the EDRC is 84% while the error rate is 16%. As for the GPMC, 67.9% for the hit rate and 18.5% for the error rate. In the study, a decision model was proposed for the classification of ED, which is believed to have been achieved. The decision model proposes that patients with scores greater than or equal to the third quartile should be classified as having ED characteristics and associated comorbidities. In the long term, it is hoped that this measure may be suitable for use in research and in the context of clinical evaluation in order to promote subsequent interventions.
Keywords: Transtornos alimentares
Validação
Adaptação
Regressão logística
Eating disorders
Validation
Adaptation
Logistic regression
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências Exatas e da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13020
Issue Date: 27-Feb-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) - Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total1,18 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons