Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13202
metadata.dc.type: Dissertação
Title: É dando que se recebe? Evidência empírica do efeito da despesa de pessoal para o sucesso eleitoral do executivo estadual brasileiro
metadata.dc.creator: Torres, Rayza de Lima
metadata.dc.contributor.advisor1: Fittipaldi, Ítalo
metadata.dc.description.resumo: Nos estados brasileiros as despesas de pessoal refletem uma maior absorção de responsabilidades com a provisão de bens e serviços públicos, retirando da alçada federal o ônus dessa prestação. Por sua vez, a expansão dos gastos com o funcionalismo público, mesmo contrariando preceitos da Reforma Administrativa ou limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, pode estar associada à formação de ciclos políticos, que levam os governantes a aumentarem o dispêndio público ou manipularem variáveis fiscais em período eleitoral, a fim de conquistarem o sucesso nas urnas. Nesse sentido, este trabalho visou mensurar como a despesa de pessoal pode influenciar a chances de reeleição do governante estadual ou do grupo político no poder, no período entre 1996 e 2014. Para realização da pesquisa foram utilizados dados de natureza fiscal (despesas com saúde, educação), políticos (ano eleitoral, partidos políticos) e socioeconômicas (PIB per capita) como variáveis de controle. Quanto a variável de interesse, propôs-se uma proxy em que as despesas com pessoal correspondem a folha de pessoal dos servidores ativos das administrações estaduais e do Distrito Federal. O método probabilístico da Máxima Verossimilhança (logit) foi escolhido para o teste de hipótese e os testes de Hausman e Wald, para um melhor ajustamento do modelo econométrico. Os resultados confirmaram que o gasto com pessoal influenciou positivamente as chances de recondução estadual no período avaliado (1996-2014), ou seja, o crescimento da folha de pessoal aumenta em 37% a probabilidade de reeleição do governador/grupo político. Os coeficientes variação absoluta do PIB per capita e variação absoluta da educação per capita, corresponderam ao sinal esperado (positivo). Quanto à variação absoluta da saúde per capita, este controle além de não ser estatisticamente significante, apresentou um sinal da relação causal diferente do esperado. Dessa forma, conclui-se que a expansão da folha de pessoal nos estados foi interessante em termos eleitoreiros.
Abstract: In the brazillian states, personnel expenditures reflect a greater absorption of responsabilties with the provision of public good and services, removing this burden from the federal jurisdiction. On the other hand, the expansion of civil service expenditures, even contradicting the norms of the Administrative Reform or limits of the Law of Responsibility, may be associated with the political cycles formation, which leads the governors to increase public outlays or manipulate the fiscal variables during the election period, in order to succeed at the polls. In this regard, this work aimed to mesure how the personnel expenditure could influence the reelection chances of the state governor or of the political party in power, in the period between 1996 and 2014. To carry out this work, fiscal (health expenses, education), political (political parties, election year) and socioeconomic (GDP per capita) data were used as control variables. Concerning the variable of interest, a proxy was proposed in which the personnel expenditures correspond to the active servers personnel payroll of the state and Federal District administrations. The Maximum Likelihood (logit) probabilistic method was chosen for the hypothesis test, and the Hausman and Wald tests, for a better adjustment of the econometric model. The results confirmed that the personnel expenditure positively influenced the chances of state reinstatement in the period evaluated (1996-2014), that is, The growth of the personnel sheet increases the probability of re-election of the governor / political group by 37%. The coefficients absolute variation of GDP per capita and absolute variation of education per capita, corresponded to the expected signal (positive). Regarding absolute health variation per capita, this control, besides not being statistically significant, showed a sign of the causal relationship different from that expected. In this way, it can be concluded that the expansion of personnel expenditures in the states was interesting in electoral terms.
Keywords: Ciclos políticos
Despesas de pessoal
Reeleição
Political cycles
Personnel expenditures
Re-election
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::CIENCIA POLITICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Relações Internacionais
metadata.dc.publisher.program: Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais
metadata.dc.rights: Acesso aberto
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13202
Issue Date: 27-Apr-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Ciência Política e Relações Internacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total1,69 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons