Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13265
metadata.dc.type: Dissertação
Title: “A arte é para todos”: patrimônio cultural, tradição de conhecimento, processos sociotécnicos e organização social do trabalho entre os artesãos do Alto do Moura (Caruaru/PE)
metadata.dc.creator: Rocha, Darllan Neves da
metadata.dc.contributor.advisor1: Mura, Fabio
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Mendonça, João Martinho Braga de
metadata.dc.description.resumo: O trabalho apresentado nesta dissertação é fruto da pesquisa, desenvolvida nos últimos dois anos, como estudante de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal da Paraíba. Nela abordo como a tradição dos artesãos do Alto do Moura, Caruaru/PE, é construída e utilizada para demarcar distinções sociais do grupo e entre seus integrantes. Observo a tradição sobre diferentes aspectos enquanto elemento instrumental para sua visibilidade externa, sob a qual é demonstrada como patrimônio. Assim, considero tanto as práticas elaboradas por políticas públicas, mas também como os artesãos elaboram estratégias para demonstrar sua tradição. No entanto, essa também demarca distinção nos posicionamentos sociais pelos artesãos que demonstram uma hierarquia social através de categorias próprias. Aqui, a tradição é o elemento definidor que diferencia os que são mantenedores da tradição e a modificam. Entretanto, essa distinção é interna à comunidade organizada por grupos domésticos, demarcando a identidade através de sua tradição. Destarte, no trabalho parti da necessidade de descobrir a tradição reivindicada pelos artesãos do Alto do Moura, para contemplar a necessidade de sua definição para que eles possam elaborar o pedido de Registro de sua tradição como patrimônio cultural nacional.
Abstract: The work presented in this dissertation is the result of research carried out over the past two years as a graduate student in the Graduate Program in Anthropology at the Federal University of Paraiba. I approach it as a tradition of craftsmen Alto do Moura, Caruaru / PE, is constructed and used to mark social distinctions between the group and its members. Observe the tradition on different aspects while instrumental element to its external visibility, under which is shown as equity. Therefore consider both practices developed by public policies, but also as artisans design strategies to demonstrate their tradition. However, this also marks distinction in social positions by artisans who demonstrate a social hierarchy through their own categories. Here, tradition is the defining element that differentiates those who are keepers of tradition and modifying it. However, this distinction is internal to the group that organizes itself as domestic groups, forming a group identity through your tradition. Thus, the work of the left need to discover the tradition claimed by artisans from Alto does Moura, to address the need for its definition so that they can prepare the application for registration of its tradition as a national cultural heritage.
Keywords: Patrimônio cultural
Processos sociotécnicos
Tradição de conhecimento
Cultural heritage
Socio-technical processes
Tradition of knowledge
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Antropologia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13265
Issue Date: 11-Sep-2014
Appears in Collections:Centro de Ciências Aplicadas e Educação (CCAE) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total6,12 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons