Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13509
metadata.dc.type: TCC
Title: Remoção de Cromo VI em Efluentes Sintéticos Utilizando Borra de Café como Adsorvente
metadata.dc.creator: Oliveira, Tatyana Alexandre de .
metadata.dc.contributor.advisor1: Ferreira, Andrea Lopes de Oliveira
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho mostra os resultados da adsorção de Cr VI utilizando a borra de café como adsorvente. O adsorvente, inicialmente, foi tratado por três métodos, determinando qual mais viável para o processo. Em seguida, foram realizados banhos finitos por 6h e 24h com o objetivo de determinar os parâmetros ideais: pH, granulometria e a quantidade (g) de adsorvente, como também a concentração do soluto (ppm) para o processo de adsorção. Foram fixados dois parâmetros, 150 rpm e 27 °C, devido a referências bibliográficas e custo benefícios. De todos os três métodos realizados para o tratamento da borra, o terceiro método apresentou ser o mais confiável, inerte aos resultados. Não foi observado nenhuma coloração nas amostras, logo após as 6h, como também nenhuma variação significativa no pH das amostras. No entanto, os outros dois métodos apresentaram resultados não satisfatórios. O primeiro método, apresentou uma coloração marrom nas amostras após o período de 6h, além de uma variação de pH significativa. Já o segundo método, embora não tenha apresentado coloração e nenhuma variação exorbitante de pH nas amostras, ainda não é viável seu uso, pois demanda um grande volume de água para tratar pouca borra. Para a variação de pH, após 6h e 24h, o melhor resultado obtido foi com o pH 3,0, sendo coerente com as referências bibliográficas, além de ter apresentado uma ótima taxa de remoção para o processo de adsorção do metal cromo hexavalente. Na variação da granulometria do adsorvente, a maior granulometria (0,355mm), demostrou ser mais eficiente no processo, pois obteve uma maior taxa de remoção, comparada com os resultados da menor granulometria (0,250mm). Na variação do soluto, 100 ppm é a mais adequada para se trabalhar. Pois, as taxas de remoção para concentrações menores não tiveram uma diferença significativa. Com a variação do adsorvente, 1g de borra/100 ppm foi o melhor resultado obtido para o processo de adsorção, obteve maior taxa de remoção. Segundo os parâmetros obtidos pela modelagem de Freundlich, Langmuir e Redlich-Peterson, a borra de café se mostrou um bom adsorvente para o metal Cromo (VI). Mediante os ajustes não lineares para determinar as isotermas de Langmuir, Redlich-Peterson e Freundlich, os resultados, foram satisfatórios e coerentes. Porém, as isotermas de Langmuir e Redlich-Peterson obtiveram os melhores ajustes, R2 =1, comparando com o Freundlich, R2 =0,9949. Após todos os parâmetros ideais determinados, foi realizada a cinética de adsorção. O tempo de adsorção caiu de 6h, usado para encontrar os parâmetros ideais, para menos de 3h
Abstract: This work shows the results of Cr VI adsorption using the coffee grounds as adsorbent. The adsorbent was initially treated by three methods, determining which more feasible for the process. Then, finite baths were carried out for 6h and 24h with the The objective of this study was to determine the ideal parameters: pH, granulometry and the amount (g) of adsorbent, as well as the solute concentration (ppm) for the adsorption process. Two parameters, 150 rpm and 27 ° C, were set due to bibliographic references and cost benefits. Of all three methods performed for the treatment of sludge, the third method presented the most reliable, inert to the results. No coloration was observed in the samples, shortly after 6h, as well as no significant variation in pH of samples. However, the other two methods presented unsatisfactory results. O method, showed a brown coloration in the samples after the period of 6h, in addition to of a significant pH variation. The second method, although it did not coloration and no exorbitant pH variation in the samples, its use is not yet viable, because it demands a great volume of water to treat a little sludge. For pH variation, after 6h and 24h, the best result was with pH 3.0, being consistent with the references literature, in addition to having presented an excellent removal rate for the adsorption of the hexavalent chromium metal. In the adsorbent granulometry variation, the highest (0.355mm), showed to be more efficient in the process, since it obtained a greater removal rate, compared to the results of the lower particle size (0.250mm). At solute variation, 100 ppm is the most suitable to work with. Because, the removal rates for smaller concentrations did not have a significant difference. With the adsorbent, 1g of sludge / 100 ppm was the best result obtained for the adsorption process, obtained a higher removal rate. According to the parameters obtained by the Freundlich, Langmuir and Redlich-Peterson, the coffee grounds proved to be a good adsorbent for or chromium (VI) metal. By means of the non-linear adjustments to determine the isotherms of Langmuir, Redlich-Peterson and Freundlich, the results were satisfactory and consistent. However, the Langmuir and Redlich-Peterson isotherms obtained the best adjustments, R2 = 1, comparing with Freundlich, R2 = 0.9949. After all the determined ideal parameters, adsorption kinetics were performed. The adsorption time fell from 6h, used to find the ideal parameters, for less than 3h.  
Keywords: Adsorção
Borra de Café
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA QUIMICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Engenharia Química
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13509
Issue Date: 12-Jul-2018
Appears in Collections:TCC - Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TAO19072018.pdf2,02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.