Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13771
metadata.dc.type: Tese
Title: Motivações para alimentação (não) saudável: contribuições dos valores humanos, imagem corporal e autocontrole
metadata.dc.creator: Santos, Layrtthon Carlos de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Gouveia, Valdiney Veloso
metadata.dc.description.resumo: Esta tese objetivou conhecer as motivações por trás da alimentação saudável e não saudável, desenvolver medidas para mensurá-las e verificar como o autocontrole, valores humanos e imagem corporal estão relacionados a elas. Foram elaborados três capítulos. No Capítulo 1, objetivou-se explorar, sob um enfoque qualitativo, as referidas motivações. Participaram 205 estudantes universitários que responderam a um questionário com perguntas abertas sobre as razões que os levaram a consumir alimentos saudáveis ou não saudáveis. Os resultados das Análises de Classificação Hierárquica Descendente mostraram cinco motivos relacionados ao consumo de alimentos saudáveis (perda de peso, sentir-se bem, prevenção de doenças, necessidades do organismo e benefícios) e outros cinco ao de não saudáveis (desejo, ocasiões diversas, falta de tempo, praticidade e vantagens). O Capítulo 2 objetivou desenvolver a Escala de Motivações para Alimentação Saudável (EMAS) e a Escala de Motivações para Alimentação Não Saudável (EMANS), e reunir evidências de validade e precisão das mesmas, sendo dividido em duas etapas. Na etapa 1 participaram 208 universitários, os quais responderam as versões iniciais das medidas. Análises fatoriais exploratórias indicaram estruturas de três fatores tanto para a EMAS [Prevenção de doenças (5 itens, a = 0,93), Perda de peso (5 itens, a = 0,91) e Vitalidade (5 itens, a = 0,91)] quanto para a EMANS [Falta de tempo (5 itens, a = 0,89), Desejo (5 itens, a = 0,89) e Interação social (5 itens, a = 0,83)]. Na etapa 2 participaram outros 229 universitários, os quais responderam as versões finais da EMAS e da EMANS. Os resultados confirmaram tanto o modelo fatorial da EMAS (e.g., CFI = 0,96, TLI = 0,95) quanto o da EMANS (e.g., CFI = 0,95, TLI = 0,93), os quais também se apresentaram invariantes em relação ao sexo dos participantes (?CFI < 0,010; ?RMSEA < 0,015). Finalmente, o Capítulo 3 pretendeu conhecer a relação entre o autocontrole, valores humanos e imagem corporal com as motivações para a alimentação saudável e não saudável, bem como desenvolver modelos explicativos dessas. Contou-se com uma amostra de 391 pessoas da população geral que responderam aos seguintes instrumentos: Escala de Investimento Corporal, Escala de Avaliação da Satisfação com a Imagem Corporal, Escala de Motivações para Alimentação Saudável, Escala de Motivações para Alimentação Não Saudável, Questionário dos Valores Básicos e a Brief Self-Control Scale. Em linhas gerais, os resultados indicaram que um maior nível de autocontrole, valores sociais e centrais e uma maior satisfação com a imagem corporal estão relacionados a uma maior motivação para a alimentação saudável, enquanto um baixo autocontrole, valores pessoais e uma menor satisfação com a imagem corporal estão relacionados a uma maior motivação para a alimentação não saudável. O modelo explicativo das motivações para a alimentação saudável a partir do autocontrole, valores sociais e cuidado corporal apresentou indicadores de ajuste satisfatórios (e.g., CFI = 0,95, TLI = 0,93) que indicaram sua adequação. Diante desses resultados, confia-se que os objetivos da tese tenham sido alcançados. Foram exploradas as motivações para a alimentação saudável e não saudável, desenvolvidas duas medidas curtas, parcimoniosas e com bons indicadores de validade de construto e fidedignidade, e conhecidas as relações dessas motivações com o autocontrole, valores humanos e imagem corporal. Decerto, estes achados contribuem para a literatura sobre a temática no cenário brasileiro.
Abstract: This thesis aimed to know the motivations behind the healthy and unhealthy eating, developed two instruments to measure them and check how the self-control, human values and body image are related to them. Three chapters were developed. The Chapter 1 aimed to explore the motives related to the consumption of healthy and unhealthy foods in a Brazilian sample using a qualitative approach. Participants were 205 undergraduate students who answered a questionnaire with open questions about the reasons that led them to consume these foods. The Descending Hierarchical Classification analyzes results showed five motives related to consumption of healthy foods (weight loss, feel good, prevention of diseases, organismic needs and benefits) and other five to unhealthy foods (desire, various occasions, lack of time, practicality and advantages). The Chapter 2, divided in two steps, aimed to develop the Motivations for Healthy Eating Scale (MHES) and the Motivations for Unhealthy Eating Scale (MUES), and to gather evidence of their validity and accuracy. The step 1 was composed of 208 undergraduate students who answered the aforementioned measures. The exploratory factorial analysis results indicated a final structure of three factors for both MHES [Prevention of diseases (5 items, a = 0.93), Weight loss (5 items, a = 0.91) and Vitality (5 items, a = 0.91)] and MUES [Lack of time (5 items, a = 0.89), Desire (5 items, a = 0.89) and Social interaction (5 items, a = 0.83)]. From the step 2, 229 undergraduate students participated, who answered the final versions of MHES and MUES. The results of this study corroborated both the factorial model of MHES (CFI = 0.96, TLI = 0.95) and that of MUES (CFI = 0.95, TLI = 0.93), which were invariant in relation to the sex of the participants (?CFI < 0.010; ?RMSEA < 0.015). Finally, the Chapter 3 aimed to know the relationship between self-control, human values and body image with the motivations for healthy and unhealthy eating, as well as to develop explanatory models of these motivations. 391 people participated responding to measures of self-control, values, body image, body care and motivations. Overall, the results indicated that a higher level of self-control, social and central values and a higher satisfaction with body image are related to a higher motivation for healthy eating, while low self-control, personal values and lower satisfaction with body image are related to a greater motivation for unhealthy eating. The explanatory model of the motivations for healthy eating from self-control, social values and body care presented satisfactory adjustment indicators (CFI = 0.95, TLI = 0.93) that indicated the suitability of the model. In front of these results, it is certain that the objectives of the thesis have been achieved. The motivations for healthy and unhealthy eating were explored, developed two shorts and parsimonious instruments with great indicators of constructo validity and reliability, and the relations of these motivations with self-control, human values and body image were known. Certainly, these findings contribute to the literature on the subject.
Esta tesis objetivó conocer las motivaciones por detrás de la alimentación saludable y no saludable, desarrollar instrumentos para medirlas y saber como el autocontrol, los valores humanos y la imagen corporal se relacionan com ellas. Se elaboraron tres capítulos. El Capítulo 1 objetivó explorar en un enfoque cualitativo los motivos relacionados al consumo de alimentos saludables y no saludables en una realidad brasileña. 205 estudiantes universitarios participaron respondiendo a un cuestionario con preguntas abiertas sobre las razones que los llevaron a consumir esos alimentos. Los resultados de los análisis de Clasificación Jerárquica Descendente mostraron cinco motivos relacionados al consumo de alimentos saludables (pérdida de peso, sentirse bien, prevención de enfermedades, necesidades del organismo y benefícios) y otros cinco al de alimentos no saludables (deseo, ocasiones diversas, falta de tiempo, practicidad y ventajas). El Capítulo 2, dividido en dos pasos, objetivó desarrollar la Escala de Motivaciones para la Alimentación Saludable (EMAS) y la Escala de Motivaciones para la Alimentación No Saludable (EMANS), y reunir evidencias de validez y fiabilidad de las mismas. El paso 1 contó con la participación de 208 universitarios que respondieron a las medidas mencionadas. Los resultados de los análisis factoriales exploratorios indicaron una estructura final de tres factores tanto para la EMAS [Prevención de enfermedades (5 ítems, a = 0.93), Pérdida de peso (5 ítems, a = 0.91) y Vitalidad (5 ítems, a = 0.91) como para la EMANS [Falta de tiempo (5 ítems, a = 0.89), Deseo (5 ítems, a = 0.89) e Interacción social (5 ítems, a = 0.83). En el paso 2 participaron 229 universitarios, los cuales respondieron a las versiones finales de la EMAS y de la. Los resultados confirmaron tanto el modelo factorial de la EMAS (CFI = 0.96, TLI = 0.95) como el de la EMANS (CFI = 0.95, TLI = 0.93), los cuales también se presentaron invariantes en relación al sexo de los participantes (?CFI < 0.010; ?RMSEA < 0.015). Por fin, el Capítulo 3 objetivó conocer la relación entre el autocontrol, valores humanos y imagen corporal con las motivaciones para la alimentación saludable y no saludable, así como desarrollar modelos explicativos de esas. 391 personas participaron respondiendo medidas de autocontrol, valores, imagen corporal, cuidado corporal y motivaciones. Se realizaron análisis de correlación, regresión y análisis de caminos. Los resultados indicaron que un mayor nivel de autocontrol, valores sociales y centrales y una mayor satisfacción con la imagen corporal están relacionados a una mayor motivación para la alimentación saludable, mientras que un bajo autocontrol, valores personales y una menor satisfacción con la imagen corporal están relacionados a una mayor motivación para la alimentación no saludable. El modelo explicativo de las motivaciones para la alimentación saludable a partir del autocontrol, valores sociales y cuidado corporal presentó indicadores de ajuste satisfactorios (por ejemplo, CFI = 0.95, TLI = 0.93) que indicaron su adecuación. Ante estos resultados, se confía que los objetivos de la tesis hayan sido alcanzados. Se exploraron las motivaciones para la almentación saludable y no saludable, desarrolladas medidas parsimoniosas y com buenos indicadores de validez de constructo y fiabilidad, y conocida las relaciones de esas motivaciones com el autocontrol, valores humanos y imagen corporal. Ciertamente, estos hallazgos contribuyen a la literatura sobre la temática en el escenario brasileño.
Keywords: Motivações
Alimentação
Medidas
Correlatos
Motivations
Eating
Measures
Correlates
Motivaciones
Alimentación
Medidas
Correlatos
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Psicologia Social
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13771
Issue Date: 18-Dec-2017
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total2,46 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons