Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/14503
metadata.dc.type: Tese
Title: A caiçara e o pescador: conhecimento etnobotânico local, legislação e ocupação da orla marítima no município de Lucena, Paraíba, Brasil
metadata.dc.creator: Córdula, Eduardo Beltrão de Lucena
metadata.dc.contributor.advisor1: Lucena, Reinaldo Paiva Farias de
metadata.dc.description.resumo: A presente pesquisa buscou analisar a construção tradicional artesanal da caiçara no município de Lucena, Paraíba, através do conhecimento botânico dos pescadores artesanais que as constroem, fazendo uso do recurso botânico arbóreo extraído da Mata Atlântica e do Manguezal, com suas implicações legais de uso destes, bem como da ocupação da orla marítima. Por se tratar de uma pesquisa Qualiquantitativa, foram utilizados como metodologia a Pesquisa de Campo, a Etnografia, a Pesquisa Bibliográfica e Documental, com técnicas do Rapport, Observação Não Participante, Entrevista Livre e Formal, tendo como instrumento o Formulário Semiestruturado, registro fotográfico, georeferenciamento por GPS e uso de mapas digitais (MapBiomas), registro, numeração, medição estrutural (altura, largura, comprimento e distância da linha de preamar) e medição do perímetro das madeiras utilizadas nas caiçaras, Turnê Guiada, coletas para identificação botânica das espécies indicadas na Lista Livre, e Análise dos dados obtidos pelos Métodos MPETH, Descritivo Qualitativo Etnográfico, Incidência de Risco, Valor de Uso e Estatística Descritiva. Todas as atividades foram autorizadas pelas Colônias de Pescadores Z-5 e Z-19 Através de Cartas de Anuência e os entrevistados assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, permitindo a divulgação dos dados obtidos, com base na Conduta Ética para Pesquisas com Seres Humanos, do Conselho Nacional de Saúde (Resolução n. 510/2016). Este estudo obteve autorização para sua realização, emitida pelo Comitê de Ética da UFPB, sob Protocolo n. 0227/2016 e Registro no SISGEN sob Cadastro n. A59DF10. Com os resultados obtidos, pode-se inferir que a caiçara é um etnoelemento importantíssimo dentro da cultura local, que funciona como local de deposição e armazenamento dos apetrechos de pesca utilizados pelos pescadores. No município há 100 caiçaras e os conhecimentos locais envolvidos nesta cultura tradicional e artesanal estão correndo risco de se perderem ao longo do tempo, pela ausência em parte desta população, na continuidade da transmissão vertical e horizontal dos saberes etnobotânicos envolvidos na sua construção e no recurso florestal local utilizado. Estes recursos necessitam de manejo adequado, devendo envolver os órgãos públicos municipal, estadual e federal, já que há um ordenamento preferencial de uso das espécies botânicas pela sua durabilidade e ocorrência, para que se mantenham disponíveis ao longo do tempo e assim, possam ser continuamente utilizados pela comunidade local de pescadores. Foram identificadas nove espécies de Mata Atlântica e duas de Manguezal. Além destes fatores, a justiça ambiental deve se fazer presente, através do conhecimento da legislação vigente e que, apesar de desconhecida pela população local de Pescadores Artesanais Profissionais, permite a ocupação da orla para manutenção de sua atividade de pesca, bem como, o uso sustentável dos recursos florestais nativos. Conclui-se que os conhecimentos etnobtânicos e a cultura popular nesta comunidade local de pescadores artesanais precisam ser preservados, necessitando de estudos de fitossociologia da diversidade das espécies utilizadas e sua disponibilidade, para desenvolver o fortalecimento da identidade e da cultura local destes pescadores, com foco na manutenção do patrimônio cultural que é a caiçara de Lucena, Paraíba.
Abstract: The present research sought to analyze the traditional artisanal construction of the caiçara in the municipality of Lucena, Paraíba, through the botanical knowledge of artisanal fishermen who build them, making use of the botanical tree resource extracted from the Atlantic Forest and Mangrove, with its legal implications of using these, as well as the occupation of the seafront. Since it was a Qualiquantitative research, the Field Survey, Ethnography, Bibliographic and Documentary Research were used as methodology, using Rapport techniques, Non-Participatory Observation, Free and Formal Interview, having as instrument the Semistructured Form, photographic record, georeferencing by GPS and use of digital maps (MapBiomas), registration, numbering, structural measurement (height, width, length and distance of the line between tides) and measurement of the perimeter of the woods used in the caiçaras, Guided Tour, collections for botanical identification of the species indicated in the Free List, and Analysis of data obtained by Methods MPETH, Qualitative Ethnographic Descriptive, Risk Incidence, Use Value and Descriptive Statistics. All activities were authorized by the Fisher Colonies Z-5 and Z-19 Through Letters of Consent and the interviewees signed the Term of Free and Informed Consent, allowing the dissemination of the data obtained, based on the Ethical Conduct for Research on Human Beings, of the National Health Council (Resolution No. 510/2016). This study obtained authorization for its accomplishment, issued by the Ethics Committee of the UFPB, under Protocol n. 0227/2016 and Registration in SISGEN under Cadastre n. A59DF10. With the results obtained, it can be inferred that the caiçara is a very important element within the local culture, which serves as a place of deposition and storage of fishing gear used by fishermen. In the municipality there are 100 caiçaras and the local knowledge involved in this traditional and artisanal culture are running the risk of losing themselves over time, due to the absence in part of this population, in the continuity of vertical and horizontal transmission of the ethnobotanical knowledge involved in its construction and in the resource the local forest used. These resources need adequate management, and should involve municipal, state and federal public agencies, since there is a preferential arrangement of botanical species for their durability and occurrence, so that they remain available over time and thus can be continuously used by the local fishing community. Nine Atlantic Forest and two Mangrove species were identified. In addition to these factors, environmental justice must be present, through the knowledge of current legislation and, although unknown to the local population of Professional Fishermen, allows the occupation of the border to maintain their fishing activity, as well as, the use management of native forest resources. It is concluded that ethnobtanic knowledge and popular culture in this local community of artisanal fishermen need to be preserved, requiring phytosociological studies of the diversity of the species used and their availability, in order to develop the identity and local culture of these fishermen, with a focus in the maintenance of the cultural patrimony that is the caiçara of Lucena, Paraíba.
Keywords: Comunidade local
Etnoconhecimento
Mata Atlântica
Manguezal
Legislação
Local community
Ethnoconference
Fisherman
Caiçara
Atlantic forest
Legislation
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Gerenciamento Ambiental
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/14503
Issue Date: 26-Nov-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total11,98 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons