Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/14632
metadata.dc.type: Tese
Title: Representações sociais da aposentadoria : um estudo com docentes e ex-docentes universitários
metadata.dc.creator: Nóbrega, Cléverson Vasconcelos da
metadata.dc.contributor.advisor1: Helal, Diogo Henrique
metadata.dc.description.resumo: Esta tese tem como objetivo principal compreender como se configuram as representações sociais da aposentadoria entre os docentes e ex-docentes universitários que atravessam o período de transição para a aposentadoria, compreendido entre o período de pré-aposentadoria e a pós-aposentadoria. Para isso, adotou-se como aporte teórico-conceitual a Teoria das Representações Sociais (TRS), concebida pelo psicólogo social Serge Moscovici em 1961, que defende uma articulação entre o psicológico e o social a partir da inseparabilidade entre o sujeito, objeto e sociedade. O estudo se justifica pelo fato de, atualmente, no Brasil ocorrer uma transição demográfica de sua população, cuja situação traz consigo uma des-institucionalização do curso de vida, com mudanças na estrutura das famílias, (re)significação da velhice, alterações no mercado de trabalho, com o adiamento da saída dos indivíduos desse mercado e, de maneira geral, uma ruptura na forma tradicional de aposentadoria, com a possibilidade de retorno ao trabalho. Neste contexto, a apreensão do processo de aposentadoria dos docentes e ex-docentes universitários requer uma visão multidimensional do fenômeno, a partir da observação de aspectos individuais (micro), familiares e organizacionais (meso) e também sociais, culturais, políticos e econômicos (macro), em detrimento de uma visão meramente pontual. Metodologicamente, se trata de uma abordagem qualitativa apoiada por dois estudos de caso, realizados em sequência, sendo primeiro em Lisboa-Portugal e o segundo em João Pessoa-PB, ambos caracterizados por uma pesquisa documental precedida da realização de entrevistas. Na primeira pesquisa documental, realizada no Jornal Correio da Manhã, o aposentado é representado como fragilizado moral e financeiramente, possivelmente, em virtude da crise econômica que atingiu Portugal durante o período pesquisado (2010–2015). Nos dois jornais selecionados para a pesquisa no Nordeste (Jornal do Commercio e Correio da Paraíba), apresenta-se o aposentado preocupado com sua saúde e bem estar mas, na maioria, das vezes, também fragilizado, vulnerável e endividado. Tem a aposentadoria como um frustrante arrependimento, talvez pelo fato de, mesmo consciente de seus direitos, se sentir impotente ao tentar garanti-los, dada a capacidade limitada de articulação política que se traduz em um sentimento discriminatório, pela diferença de direitos entre trabalhadores da ativa e “inativos”. Assim como em Portugal, as condições econômicas desfavoráveis do Brasil, representadas nos jornais em virtude do déficit previdenciário, sugerem a figura do aposentado como grande vilão e “culpado” pela dívida. Sobre os pesquisados portugueses, se observou que a aposentadoria é, muitas vezes, revestida de sutilezas e vista como um tabu, causado pelo isolamento se aproximando de uma espécie de morte social. Já com relação às representações sociais relacionadas à aposentadoria nas narrativas dos sujeitos, algumas podem ser destacadas: a) abono pecuniário – embora este benefício seja um motivador para retardar o pedido de aposentadoria, não é o mais relevante, haja vista a possibilidade de continuidade de trabalho fora da academia; b) atividades domésticas – as docentes, em geral, conseguem enfrentar com maior naturalidade do que os docentes a chegada da aposentadoria porque comumente acumulam responsabilidades domésticas; c) idade – é possível perceber algum preconceito ou distanciamento entre pares na instituição, provocado pela idade mais avançada de alguns, sugerindo falta de atualização de conhecimento, possivelmente, decorrente do cansaço físico e/ou mental; d) tal distanciamento também pode ser alimentado pela falta de reconhecimento dos mais jovens em relação aos mais velhos, aspecto inclusive citado na pesquisa pelos dois grupos entrevistados, incomodando os aposentados que sentem ainda poder contribuir com a instituição. A heterogeneidade das representações sociais obtidas entre os docentes e exdocentes da UFPB, revela que o processo de aposentadoria é sentido de diferentes formas, reforçando o entendimento de seu caráter complexo e singular.
Abstract: The purpose of this thesis is to understand how the social representations of retirement are configured among teachers and former university teachers who go through the period of transition to retirement between the pre-retirement and post-retirement periods. For this, the Theory of Social Representations (TRS), conceived by the social psychologist Serge Moscovici in 1961, adopted as a theoretical-conceptual contribution that advocates a link between the psychological and the social, based on the inseparability between the subject, object and society. The study is justified by the fact that a demographic transition occurs in Brazil, whose situation brings with it a de-institutionalization of the life course, with changes in the family structure, (re) signification of old age, changes in the market with the postponement of the exit of individuals from this market and, in general, a rupture in the traditional form of retirement, with the possibility of returning to work. In this context, the apprehension of the retirement process of university professors and former university teachers requires a multidimensional view of the phenomenon, based on the observation of individual (micro), family and organizational (meso) as well as social, cultural, political and economic aspects (macro), to the detriment of a merely punctual vision. Methodologically, this is a qualitative approach supported by two case studies, carried out in sequence, being first in Lisbon-Portugal and the second in João Pessoa-PB, both characterized by documentary research preceded by interviews. In the first documentary survey, carried out in the Correio da Manhã newspaper, the retiree represented as morally and financially fragile, possibly due to the economic crisis that hit Portugal during the period studied (2010-2015). In the two newspapers selected for research in the Northeast (Jornal do Commercio and Correio da Paraíba), the retiree is concerned about his health and well-being, but most of the time, he is also fragile, vulnerable and indebted. It has retirement as a frustrating regret, perhaps because, even though it is aware of its rights, it feels powerless to try to guarantee them, given the limited capacity for political articulation that translates into a discriminatory feeling, for the difference of rights between active and "inactive". As in Portugal, Brazil's unfavorable economic conditions, represented in the newspapers as result of the pension deficit, suggest that the retired figure is a big villain and "guilty" of the debt. On the Portuguese surveyed, it observed that retirement is often clothed with subtleties and seen as taboo, caused by isolation approaching a kind of social death. The social representations related to retirement in the narratives of the subjects, some can be highlighted: a) pecuniary allowance - although this benefit is a motivator to delay the application for retirement, is not the most relevant, given the possibility of continuity of work outside the gym; b) domestic activities - teachers, in general, are able to cope more naturally with teachers than the arrival of retirement because they commonly accumulate household responsibilities; c) age - it is possible to perceive some prejudice or distance between peers in the institution, caused by the older age of some, suggesting a lack of knowledge updating, possibly due to physical and / or mental fatigue; d) this distancing can also be fueled by the lack of recognition of the younger ones in relation to the older ones, aspect mentioned in the research by the two groups interviewed, annoying the retirees who still feel they can contribute to the institution. The heterogeneity of the social representations obtained between UFPB teachers and former teachers reveals that the retirement process felt in different ways, reinforcing the understanding of its complex and unique character.
Keywords: Processo de aposentadoria
Representações sociais
Professores universitários
Retirement process
Social representations
Professors
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Administração
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Administração
metadata.dc.rights: Acesso aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/14632
Issue Date: 8-Aug-2017
Appears in Collections:Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) - Programa de Pós-Graduação em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivo total2,16 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons