Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15075
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O papel da razão no conhecimento do sensível (ciência) em Santo Agostinho
metadata.dc.creator: Oliveira, Abelardo José de
metadata.dc.contributor.advisor1: Ferreira, Anderson D’Arc
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo constitui-se em uma dissertação de mestrado fundada em um referencial bibliográfico, em que foram utilizadas como fontes principais as obras: Contra academicos, De libero arbitrio e De trinitate de Santo Agostinho. Seu principal objetivo é analizar o papel da razão no conhecimento do sensível (ciência). O que se pretende é entender como se dá o processo do conhecimento racional em relação ao que Agostinho denominou de ciência, conhecimento do mundo sensível. A princípio, é apresentado um problema que se refere à questão da possibilidade do conhecimento da verdade, presente no Contra academicos. Refutando o ceticismo, Agostinho inicia sua reflexão filosófica com a afirmação do eu existencial ou autoconsciência como primeira verdade apodítica. Tomando como fio condutor esse pressuposto, no livro II do Contra academicos, Agostinho discorre sobre as três realidades percebidas diretamente pelo homem: O ser, a vida e a razão. E os canais que possibilitam o conhecimento são os sentidos exteriores, o sentido interior e a razão. Para Agostinho o que há de mais elevado na natureza humana da alma é a razão. Considerando estes conceitos, adentra-se também em outros temas como: sensação e memória. Além disso, no livro XII do De trinitate, Agostinho, após expor como se dá o conhecimento humano, apresenta a razão humana dividida em dois níveis: razão inferior (ciência) e razão superior (sabedoria); a ciência é concebida como o conhecimento das coisas humanas, a sabedoria, o conhecimento das coisas divinas. A ciência como conhecimento do mundo sensível, assim como Agostinho apresenta, revela sua preocupação em não prescindir do mundo material nas suas reflexões filosóficas. Este aprofundamento epistemológico traz um equilíbrio à teoria do conhecimento de Agostinho, ainda hoje identificada com a teoria da iluminação. Eis a importância de aprofundar este tema, trazendo à luz, aspectos ainda não suficientemente abordados na epistemologia de Santo Agostinho.
Abstract: The present study is a master's thesis based on a bibliographical reference in which the following works were used as main sources: Against academics, De libero arbitrio and De trinitate de Santo Agostinho. Its main purpose is to analyze the role of reason in the knowledge of the sensitive (science). What is intended is to understand how the process of rational knowledge occurs in relation to what Augustine called science, knowledge of the sensible world. At the outset, a problem is presented that refers to the question of the possibility of knowing the truth, present in the Contra academicos. Refuting skepticism, Augustine begins his philosophical reflection with the affirmation of the existential self or self-consciousness as the first apodic truth. Taking as its guiding principle this presupposition, in the book II of the Contra academicos, Augustine writes about the three realities perceived directly by man: Being, life and reason. And the channels that enable knowledge are the outer senses, the inner sense and the reason. For Augustine, the highest thing in the human nature of the soul is reason. Considering these concepts, it also penetrates other themes such as: sensation and memory. In addition, in the books XII of De trinitate, Augustine, after exposing how human knowledge is given, presents human reason divided into two levels: inferior reason (science) and superior reason (wisdom); science is conceived as the knowledge of human things, wisdom, knowledge of divine things. Science as knowledge of the sensible world, as Augustine presents, reveals his concern not to dispense with the material world in his philosophical reflections. This epistemological deepening brings a balance to Augustine's theory of knowledge, still today identified with the theory of enlightenment. It is the importance of deepening this theme, bringing to light, aspects not yet sufficiently addressed in the epistemology of St. Augustine.
Keywords: Ciência
Conhecimento
Sabedoria
Deus
Sensação
Memória
Science
Knowledge
Wisdom
God
Sensation
Memory
Filosofia
Razão
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Filosofia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15075
Issue Date: 7-Nov-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivototal995,87 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons