Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15076
metadata.dc.type: Tese
Title: Areté e Paideia : a formação do homem político no diálogo primeiro Alcibíades de Platão
metadata.dc.creator: Gomes, Erick Vinicius Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: Caminha, Iraquitan de Oliveira
metadata.dc.description.resumo: A pesquisa em andamento tem como foco estrutural o estudo da formação do homem político a partir da perspectiva platônica da areté (excelência moral) e da paideia (educação) grega. O diálogo Primeiro Alcibíades foi escolhido como objeto da pesquisa por acreditarmos que falar de areté política no Primeiro Alcibíades de Platão consiste exatamente em refletir sobre os fundamentos filosóficos da educação política ateniense e das diversas formas de saberes que constituem em certa medida a exitência da pólis, das suas estruturas sociais bem como a formação do homem político. Pensar uma Filosofia da educação a partir da ontologia platônica, é de certa forma buscar os princípios de um projeto de paideia que tenha como suporte a disposição dos elementos da psyché (alma) e da episteme (ciência) para ensinar a arte de governar e ser governado através do aperfeiçoamento da alma e da busca do conhecimento de si mesmo, pois para Platão, se cada cidadão for educado para fazer o que lhe compete, ou seja, aquilo de que possui o conhecimento, colocando todas as suas excelências em função do bem e da felicidade da pólis reinará a concórdia entre eles (homens políticos) e na cidade-Estado, ou seja, reinará a própria justiça, princípio que para Platão deve nortear a ação dos homens que almejam o governo da cidade-Estado. A partir desta perspectiva, a pesquisa caminha para noção de que autoconhecimento (gnōthi seauton), a techné (arte) e episteme (ciência) são os componentes do projeto da paideia da alma que encontra-se no Alcibíades I – corresponde em certa medida a paidêutica filosófica que Sócrates almeja para a cidade-Estado e para Alcibíades; é com vistas na finalidade de concretização desse projeto que Sócrates indicará ao ephebo de vinte anos incompletos e à Atenas a recomendação do Oráculo de Delphos - o gnōthi seauton (conhece-te a ti mesmo): diante da tentativa de demonstração de amor (Eros) pela alma da cidade e de Alcibíades, Sócrates de forma dialética (a dialética surge representada pela utilização do elenchos como recurso pedagógico) empenha-se para tentar indicar o caminho da alétheia (verdade) a Alcibíades – neste aspecto, Sócrates, enquanto educador, deseja indicar a Alcibíades o caminho dos fluxos (da mudança) e daquilo que “é” - daquilo que é alma; ao tentar educar a alma da cidade-Estado e de Alcibíades para virtude, Sócrates entende que não se pode ensinar aquilo que estar em fluxo permanente, sendo o sábio e educador aquele que reconhece as verdadeiras e falsas imagens, o verdadeiro mestre, juntamente com o pupilo, na medida do possível, sempre estará com o olhar voltado para o belo e imutável, levando o educando através da alma a perceber a relação que há entre as coisas que “são” e as coisas imutáveis – Alcibíades terá acesso às formas imutáveis, se o mesmo aprender a usar o terceiro olho, o olho da alma (psyché), pois é no olhar da alma que reside toda plenitude da paideia socrática.
Abstract: The research in progress has as its structural focus the political man formation study from Platonic perspective of areté (moral excellence) and Greek paideia (education). First Alcibiades dialogue was chosen as the research object because we believe that speaking of political areté in Plato’s First Alcibiades consists exactly in reflecting on Athenian political education philosophical foundations, as well as several knowledge forms, which somehow constitute the existence of the polis, of its social structures, and of political man formation. By fair means of foul, to consider a philosophy of education from Platonic ontology means to seek the principles of a paideia project which support is the disposition of psyché (soul) elements and episteme (science) to teach the art of governing and to be governed by perfecting the soul and the search for knowledge of oneself, because, for Plato, if every citizen is educated to do what is up to him, that is, to do what he possesses knowledge about, putting all his excellences into function of the polis’ greater good and happiness, as a result, there will be harmony between them (political men) and in the city-state. Thus, justice itself will reign. For Plato, this is a principle which must guide the action of men who seek city-state government. According to this perspective, the research moves towards the notion that self-knowledge (gnōthi seauton), techné (art) and episteme (science) are the components of paideia’s soul project that is found in Alcibiades I – which somehow corresponds to the philosophical treatment that Socrates aspires to the city-state and to Alcibiades. In order to realize this project, Socrates will indicate to the incomplete 20 years old ephebe and to Athens the Delphos oracle recommendation - gnōthi seauton (know yourself): before the attempt of love demonstration (Eros) by the city soul and by Alcibiades, Socrates, in a dialectical way (dialectic arises represented by the use of elenchus as a pedagogical resource), strives to indicate alétheia (truth) path to Alcibiades - in this regard, Socrates, as an educator, wishes to point out to Alcibiades the fluxes path (change), the path of what “is” - of what is the soul. Trying to educate the city-state’s soul and Alcibiades’ for virtue, Socrates understands that one cannot teach what is in permanent flux. The wise and educator is the one who recognizes true and false images. The true master, along with the pupil, as far as possible, will always be looking toward the beautiful and unchanging. Through the soul, the master leads the pupil to perceive the relationship between things that “are” and immutable things - Alcibiades will have access to immutable forms if he learns to use the third eye, the eye of the soul (phsyché), since it is in the soul’s gaze that all the fullness of Socratic footprint resides.
Keywords: Platão
Filosofia Antiga
Primeiro Alcibíades
Paideia
Plato
Ancient Philosophy
First Alcibiades
Paideia
Areté
Ontologia platônica
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Filosofia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15076
Issue Date: 16-Oct-2018
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Arquivototal.pdfArquivototal3,94 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons