Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15745
metadata.dc.type: TCC
Title: Especismo e meio ambiente: concepções dos alunos de graduação em Ciências Biológicas e Engenharia Ambiental da Universidade Federal da Paraíba - Campus I
metadata.dc.creator: Accioly, Liz Thayná Montenegro
metadata.dc.contributor.advisor1: Feitosa, Antonia Arisdélia Fonseca Matias Aguiar
metadata.dc.description.resumo: O especismo é uma prática muito comum entre a população humana, entretanto, muitas vezes é despercebida pela maioria das pessoas devido à plasticidade de conceituação do termo. Tem influência desde as civilizações antigas, passando por filósofos e por meio religioso. O termo especismo surgiu no ano de 1970 , quando o psicólogo britânico Richard Ryder o propôs, e ocorre quando uma determinada espécie ou grupo reage de forma a menosprezar ou diminuir outrem por diferenças físicas ou intelectuais, baseados no conflito de interesses para benefício da própria espécie, sendo fundamentada numa visão antropocêntrica. As discussões acerca da ética animal têm conquistado cada vez mais espaço, a medida que surgem relatos de animais entrando em processo de extinção e a área jurídica tem um papel importante nisso. A proclamação da Declaração Universal dos Direitos dos Animais (1978) postula o reconhecimento de que os animais não humanos, como um todo, são merecedores de respeito e possuem os mesmos direitos de existência e qualidade de vida e que, o homem como uma espécie animal, não pode explorar ou exterminar outros animais, tirando assim o direito de existência. A Educação Ambiental, nesta perspectiva, pode representar um mecanismo para despertar na humanidade o senso crítico às questões que envolvem a vida, dentro dos preceitos ecológicos. Este trabalho teve como objetivo analisar as possíveis tendências especistas expressas nos discursos dos estudantes dos cursos de Ciências Biológicas e Engenharia Ambiental da Universidade Federal da Paraíba – Campus I, bem como suas concepções sobre o meio ambiente. Neste estudo, de caráter qualitativo e exploratório, foram investigados 41 alunos do curso de Ciências Biológicas e 41 do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal da Paraíba – Campus I. Os dados foram obtidos por meio de um questionário de autoaplicação, físico e disponibilizado na internet e analisados através da técnica de análise de conteúdos. As manifestações expressaram uma visão socioambiental e “romântica” sobre meio ambiente, considerando-o como aquilo que envolve o homem ou o lugar que ele habita e como a natureza de maneira pura, sem interferência do homem, respectivamente. Os dados também revelaram que os estudantes possuem uma consciência sobre o real papel do homem na natureza e que, para eles, a relação que o homem possui com a natureza é utilitarista. Quanto aos animais, os alunos demonstraram perceber uma relação também utilitarista, tendo o animal como mero objeto de consumo ou pesquisa. Ficou evidente que o termo “especismo” é desconhecido entre os discentes de ambas áreas de estudo. B oa parte dos estudantes alegou ter uma boa relação com os animais, mas, ao decorrer das perguntas, verificou-se que a maioria das respostas foram especistas. Percebe-se, pois, a necessidade de fomentar nos cursos de formação inicial as discussões voltadas às temáticas que conduzam os estudantes a refletirem acerca de aspectos mais complexos que envolvem a vida e a biodiversidade no planeta.
Abstract: Speciesism is a very common practice among the human population, however, is often overlooked by most people due to the term’s plasticity of conceptualization. It has influence from ancient civilizations, through philosophers and through religious. The term speciesism arose in the year 1970, when the British psychologist Richard Ryder proposed it, and occurs when a particular species or group reacts in order to disparage or diminish others by physical or intellectual differences based on the conflict of interest for the benefit of the species itself, being based on an anthropocentric view. Discussions about animal ethics have gained more and more space, as animal reports have come to an end, and the leg al area plays an important role. The proclamation of the Universal Declaration of Animals (1978) postulates the recognition that nonhuman animals as a whole are worthy of respect and have the same rights of existence and quality of life and that man as an animal species, cannot exploit or exterminate other animals, thereby taking away the right of existence. Environmental Education, in this perspective, can represent a mechanism to awaken in humanity the critical sense to the questions that involve the life, within the ecological precepts. This work had as objective to analyse the possible spectral tendencies expressed in the speciesism of the students of the courses of Biological Sciences and Environmental Engineering of the Federal University of Paraíba - Campus I, as well as their conceptions about the environment. In this qualitative and exploratory study, 41 students from the Biological Sciences course and 41 from the Environmental Engineering course at the Federal University of Paraíba - campus I was investigated. The data were obtained through of a questionnaire of self-application, physical and available on the internet and analyzed by the content analysis technique. The manifestations expressed a socio-environmental and “romantic” view about the environment, considering that it surrounds the man or the place that he inhabits and like nature in a pure way, without interference of the man, respectively. The data also revealed that students are aware of the real role of man in nature and that for them the relationship man has with nature is utilitarian. As for the animals, the pupils showed to perceive a relation also utilitarian, having the animal as mere object of consumption or research. It became evident that the term “speciesism” is unknown among the students of both study areas. Most of the stude nts claimed to have a good relationship with the animals, but in the course of the questions it was found that most of the answers were specific. It is therefore apparent that there is a need to encourage in the initial training courses the discussions on thematics to lead students to reflect on the complex aspects of life and biodiversity on the planet.
Keywords: Percepção ambiental
Meio ambiente
Educação ambiental
Especismo
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/15745
Issue Date: 12-Nov-2018
Appears in Collections:TCC - Ciências Biológicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LTMA17092019.pdf1,32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.