Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/2679
Tipo: TCC
Título: A PALMA FORRAGEIRA RESISTENTE A COCHONILHA - DO - CARMIM NO CURIMATAÚ PARAIBANO. O CASO DO ASSENTAMENTO UBAIA. BARRA DE SANTA ROSA
Autor(es): Silva, José Marcos Dantas da
Primeiro Orientador: Pereira, Daniel Duarte
metadata.dc.contributor.referee1: Lima, Washington Benevenuto de
metadata.dc.contributor.referee2: Vieira, Múcio Freire
Resumo: As palmas forrageiras resistentes a cochonilha-do-carmim Dactylopius sp representadas pelas variedades Baiana, Sertânea ou Mão de Moça (Nopalea cochenillifera); Doce, Miúda ou Santa (Nopalea cochenillifera Salm-Dick) e Orelha de Elefante Mexicana (Opuntia tuna) podem ser enquadradas como lavouras xerófilas e bancos de energia e água no âmbito do Semiárido brasileiro. Existe atualmente uma grande necessidade de repovoamento de áreas onde ocorreu a extinção da variedade Gigante Opuntia ficusindica pela referida praga. No Projeto do Assentamento Ubaia localizado na município de Barra de Santa Rosa, Semiárido Paraibano foi formado um Grupo da Palma pelos assentados e implantado um campo de multiplicação e pesquisa com a as variedades Orelha de Elefante Mexicana, Baiana e Míuda na área coletiva. Aos 12 meses após plantio (MAP) foram realizadas medições da altura de plantas; número de raquetes primárias, secundárias e terciárias; comprimento de raquetes primárias, secundárias e terciárias; largura de raquetes primárias, secundárias e terciárias; perímetro de raquetes primárias, secundárias e terciárias e peso de raquetes primárias, secundárias e terciárias. Os dados obtidos permitiram inferir que a variedade Orelha de Elefante Mexicana promoveu uma maior número de raquetes primárias pór área enquanto a variedade Baiana promoveu uma maior produção de massa verde por área sendo ligeiramente superior a variedede Orelha de Elefante Mexicana.
Abstract: The forage palms resistant to carmine cochineal Dactylopius sp represented by the varieties Baiana, Sertânea or Hand of Maiden Nopalea sp; Sweet, Little or Santa Nopalea sp and Mexican Elephant Ear Opuntia sp can be classified as xerophytic crops and energy and water banks within the Brazilian semi-arid. There is now a great need to repopulate areas where the extinction of the Giant Variety Opuntia ficus-indica occurred by the pest. In the Ubaia Settlement Project located in the municipality of Barra de Santa Rosa, Paraíba Semiarido was formed a Palm Group by the settlers and a field of multiplication and research with the ear of Mexican Elephant, Baiana and Míuda in the collective area. At 12 months after planting (MAP) measurements were taken in order to obtain height of plants; Number of primary, secondary and tertiary rackets; Length of primary, secondary and tertiary rackets; Width of primary, secondary and tertiary rackets; Perimeter of primary, secondary and tertiary rackets and weight of primary, secondary and tertiary rackets. The data obtained allowed to infer that the Mexican Elephant Ear Variety promoted a greater number of primary rackets in the area while the Baiana Variety promoted a greater production of green mass per area being slightly superior to Variedede Mexican Elephant Ear.
Palavras-chave: Botânica - Cacto
Palma Forrageira
Assentamentos rurais
Brotações - cladódios
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal da Paraíba
Sigla da Instituição: UFPB
Departamento: Fitotecnia e Ciências Ambientais
Tipo de Acesso: Acesso aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/2679
Data do documento: 10-Fev-2017
Aparece nas coleções:TCC - Agronomia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JMDS20022017.pdf1,19 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.