Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3728
metadata.dc.type: TCC
Title: Padronização de um modelo de estresse subcrônico imprevisivel, para indução da depressão
metadata.dc.creator: Carneiro, Cesar Alves
metadata.dc.contributor.advisor1: Salvadori, Mirian G. S. Stiebbe
metadata.dc.description.resumo: O transtorno depressivo se tornará até o ano de 2020 a maior causa debilitante no mundo, estudos com os prováveis mecanismos bioquímicos envolvidos neste transtorno são vitais, principalmente para compreender como os diversos fatores que provocam o transtorno depressivo se relacionam para desenvolver a patologia. Nisto, a pesquisa com protótipos de fármacos que busquem aliviar estes sintomas ou auxiliar os tratamentos existentes se torna essencial. Para tanto é necessário a utilização de modelos animais que mimetizem o estado depressivo humano em animais, de forma eficiente, reprodutível, reversível e de baixo custo. Com base nisso, o presente trabalho objetivou padronizar um modelo não-clínico de indução do comportamento depressivo, para ser utilizado no teste de protótipos a possíveis fármacos, de forma a ser realizado em menos tempo e utilizando estressores de fácil acesso. Foram utilizados Camundongos Swiss (Mus musculus) fêmeas com grupo de 9-10 animais, todos os protocolos foram aprovados pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Universidade Federal da Paraíba, sob número de certidão 046/16. O modelo experimental de base foi o estresse crônico imprevisível, os animais foram aclimatados ao laboratório por cinco dias antes do inicio da aplicação dos estressores. Após, os animais foram separados em 03 grupos: controle (não passou pelos estressores), estresse e estresse tratado com imipramina. Os animais recebiam entre 2-4 estressores por dia, por quatorze dias, com ração e água ad libitum. No décimo quinto dia os animais passaram por testes comportamentais de suspensão da cauda, borrifagem de sacarose e campo aberto. Os animais submetidos aos estressores, apresentaram nos testes da suspensão da cauda e borrifagem de sacarose a presença de um comportamento do tipo depressivo, e no campo aberto a maioria dos parâmetros analisados indicavam o comportamento tipo ansioso, sintoma que é associado a depressão. A imipramina reverteu estes sintomas depressivos, indicando que o protocolo além de induzir o comportamento depressivo em um menor tempo pode ser revertido por uma droga padrão e, assim, ser utilizado para a investigação de novos fármacos.
Abstract: Depressive disorder will become the most debilitating cause in the world by the year 2020, studies with the probable biochemical mechanisms involved in this disorder are vital, mainly to understand how the various factors that cause the depressive disorder are related to develop the pathology. In this, research with drug prototypes that seek to alleviate these symptoms or aid existing treatments becomes essential. To do so, it is necessary to use animal models that mimic the human depressive state in animals, in an efficient, reproducible, reversible and low cost manner. Based on this, the present work aimed to standardize a non-clinical model of induction of the depressive behavior, to be used in the test of prototypes to possible drugs, in order to be performed in less time and using stressors of easy access. Female Swiss mice (Mus musculus) were used with a group of 9-10 animals, all protocols were approved by the Ethics Committee on the Use of Animals of the Federal University of Paraíba, under certificate number 046/16. The basic experimental model was the unpredictable chronic stress, the animals were acclimatized to the laboratory for five days before the beginning of the application of the stressors. After, the animals were separated into 03 groups: control (did not undergo stressors), stress and stress treated with imipramine. The animals received between 2-4 stressors per day for fourteen days, with feed and water ad libitum. On the fifteenth day the animals passed behavioral tests of tail suspension, sucrose spraying and open field. The animals submitted to the stressors presented in the tests of the suspension of the tail and sucrose spraying the presence of a behavior of the depressive type, and in the open field most of the analyzed parameters indicated the anxious type behavior, a symptom that is associated with depression. Imipramine reversed these depressive symptoms, indicating that the protocol in addition to inducing depressive behavior in a shorter time can be reversed by a standard drug and thus be used for the investigation of new drugs
Keywords: Depressão
Estresse subcrônico imprevisível
Fêmeas
Farmacologia
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Farmacologia
metadata.dc.rights: Acesso aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3728
Issue Date: 28-Nov-2017
Appears in Collections:TCC - Farmácia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CAC04122017.pdf2,37 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons