Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/5617
metadata.dc.type: Tese
Title: Um estudo lógico e epistemológico do fecho epistêmico.
metadata.dc.creator: Medeiros, Stanley Kreiter Bezerra
metadata.dc.contributor.advisor1: Queiroz, Giovanni da Silva de
metadata.dc.description.resumo: O "fecho epistêmico'' é o princípio que afirma que o conhecimento é fechado sob implicação. Se um agente S qualquer sabe que uma proposição P é o caso e, além disso, igualmente sabe que P implica logicamente outra proposição, Q, então o agente em questão também deve saber que Q é o caso. Assim, se S acredita em Q a partir da base segura fornecida pelas premissas, então ele também deve saber que Q é o caso. Este é um estudo lógico-epistemológico de princípios de fecho epistêmico com base na noção de incognoscibilidade contingente. Constatando que o problema do fecho epistêmico está em aberto e que as tentativas mais comuns na epistemologia mainstream contemporânea parecem ignorar os resultados da epistemologia formal sobre a relação entre estes princípios e a propriedade de onisciência lógica, nosso objetivo principal é oferecer uma estratégia para uma análise epistemológica de princípios de fecho epistêmico que considere estes resultados; que leve em conta a pretensão de aplicabilidade de um determinado princípio de fecho, segundo a situação e os agentes que se pretende modelar. Um exemplo dessa estratégia será dado ao se analisar princípios de fecho na perspectiva de agentes conjecturadores de proposições contingentemente incognoscíveis. Nossa hipótese é a de que, nesta aplicação, certos princípios de fecho não valem.
Abstract: Epistemic closure is the principle that says that knowledge is closed under known entailment. If an agent, S, knows that some proposition P is the case and, beside of that, equally knows that P logically implies another proposition, say, Q, then S must also know that Q is the case. Thus, if S believes Q in a strong base provided by the premisses, then he must also know that Q is the case. The present work is a logical-epistemological study of epistemic closure principles, based on the notion of contingent unknowability. Noting that the problem of epistemic closure is open and that the common attempts in contemporary mainstream epistemology seem to ignore the results of the formal epistemology about the relationship between these principles and the property of logical omniscience, our main goal is to provide a strategy for an epistemological analysis of epistemic closure principles that consider these results, taking into account the purpose of applicability of a particular closure principle, according to the situation and the agents that one wants to model. An example of this strategy will be given when analyzing closure principles from the perspective of agents that reason about contingently unknowable propositions. Our hypothesis is that, in this particular application, certain closure principles do not hold.
Keywords: Epistemologia
Incognoscibilidade
Ceticismo
Epistemic closure
Necessary unknowability
Contingent unknowability
Vskepticism
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Filosofia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Citation: MEDEIROS, Stanley Kreiter Bezerra. Um estudo lógico e epistemológico do fecho epistêmico. 2013. 214 f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2013.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/5617
Issue Date: 23-May-2013
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ArquivoTotal.pdf831,18 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.