Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6481
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O comportamento da lateral pósvocálica em posição de coda no falar Tocantinense: uma análise variacionista
metadata.dc.creator: Moura, Adriano Carlos de
metadata.dc.contributor.advisor1: Hora, Dermeval da
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho teve como objetivo analisar o processo de variação da lateral pós-vocálica /l/ em posição de coda silábica no falar de Araguatins, estado do Tocantins. A amostra foi constituída de entrevistas de aproximadamente uma hora de duração com 36 informantes, estratificados por sexo, faixa etária e escolaridade, correlacionamos a estas variáveis extralingüísticas as variáveis estruturais: contexto fonológico precedente, contexto fonológico seguinte, extensão do vocábulo, posição da lateral e tonicidade. No processo de análise computacional, através do GOLDVARB, foram selecionadas pelo stepping up como relevantes, numa ordem hierárquica, as variáveis: Contexto fonológico precedente, Tonicidade, Sexo, Extensão do Vocábulo, Escolaridade, Contexto fonológico seguinte e Faixa etária. Foram computadas 3256 ocorrências, sendo 2961 ocorrências da lateral semivocalizada [w]; e 295 de apagamento [Ø]. A presença de vogal posterior, sobretudo [u], no Contexto fonológico precedente desfavoreceu, decisivamente, a implementação da regra de vocalização da lateral pós-vocálica. Quanto ao contexto fonológico seguinte, as vogais e as consoantes labiais condicionaram ao apagamento, enquanto a pausa foi favorecedora à vocalização. Ficou comprovado também que quanto maior a massa fônica maior a propensão do apagamento da lateral, situação semelhante ao que acontece quanto a lateral se apresenta em sílaba postônica. Em relação a variável social Sexo, podemos dizer que os homens favoreceram mais o apagamento da lateral do que as mulheres. Na análise da influência da variável Anos de escolarização, ficou claro que quanto mais escolarizado for o informante mais propenso estará à manutenção da variante semivocalizada do /l/ pós-vocálico. Já os resultados para Idade, mostraram-nos que há, atualmente em Araguatins, uma certa estabilidade no uso feito da lateral em coda silábica em todas as faixas etárias.
Abstract: This work had as objective to analyze the process of variation of the lateral postvocalic /l/ in syllabic position of coda in the speech of Araguatins, state of Tocantins. The sample was constituted of interviews of approximately one hour of duration with 36 speakers, divided by sex, age and educational level, we correlate to these extralinguistic variables the structural variables: preceding phonological context, following phonological context, extension of word, position of the lateral and stressing. In the process of computational analysis, through the GOLDVARB, they had been selected by stepping up as relevant, in a hierarchic order, the variables: preceding phonological context, stressing, sex, extension of word, educational level, following phonological context and age. 3256 occurrences had been computed, being 2961 occurrences of the semi-vocalized lateral [w]; e 295 of deletion [Ø]. The presence of posterior vowel, in particular [u], in the Preceding phonological context did not favor, decisively, the implementation of the rule of vocalization of the post-vocalic lateral /l/. Due to the following phonological context, the vowels and the labial consonants had conditioned the deletion, in the other hand the pause was supporter to the vocalization. It was also proven that how much bigger the phonic mass bigger the propensity of the deletion of the lateral, similar situation happens when the lateral is post-tonic syllable. For social variable sex, we can say that men have favored much more the deletion of lateral in comparison with women. In the analysis of the influence of the variable educational level, it became clear that the more educated is the informant more likely occurs the maintenance of semi-vocalized variant of /l/ post-vocalic. The results for age, showed us that there is currently in Araguatins a certain stability in the use of /l/ in in syllabic position of coda in all age groups.
Keywords: Processo de variação
Lateral pós-vocálica
Variáveis estruturais
Apagamento
Process of variation
Lateral post-vocalic
Structural variables
Deletion
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Linguística e ensino
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós Graduação em Linguística
Citation: MOURA, Adriano Carlos de. O comportamento da lateral pósvocálica em posição de coda no falar Tocantinense: uma análise variacionista. 2009. 90 f. Dissertação (Mestrado em Linguística e ensino) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2009.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6481
Issue Date: 22-Oct-2009
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Linguística

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf594,17 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.