Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6838
metadata.dc.type: Tese
Title: Treinamento de força e suplementação alimentar com Spirulina platensis modulam a reatividade vascular da aorta de ratos wistar saudáveis dependente do no e da atividade antioxidante
metadata.dc.creator: Brito, Aline de Freitas
metadata.dc.contributor.advisor1: Silva, Bagnolia Araujo da
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Silva, Alexandre Sérgio
metadata.dc.description.resumo: A espécie Spirulina platensis tem sido relacionada à melhoria na função vascular, porém o efeito da sua associação com o treinamento de força sobre a reatividade vascular, ainda não tinha sido investigado. Assim, objetivou-se verificar os efeitos do treinamento de força e da S. platensis sobre a reatividade vascular, parâmetros bioquímicos e o estresse oxidativo, em aorta de ratos Wistar. Os animais foram divididos em oito grupos: sedentário (GS) e suplementados com S. platensis nas doses de 50 (GS50); 150 (GS150) e 500 mg/kg (GS500) e grupos treinados (GT) e suplementados com S. platensis nas doses de 50 (GT50); 150 (GT150) e 500 mg/kg (GT500). Os grupos GT realizaram treinamento de força durante 8 semanas. A análise bioquímica foi utilizada para quantificar a atividade da creatina quinase (CK) e lactato desidrogenase (LDH), níveis da proteína C reativa (PCR), de nitrito, malondialdeído (MDA) e atividade antioxidante. Para avaliar a reatividade vascular induziu-se uma curva concentração-resposta cumulativa à fenilefrina (FEN) (10-9-10-3 M) e à acetilcolina (ACh) (10-11-10-4 M). Para avaliar a participação do óxido nítrico, utilizou-se o L-NAME e em seguida, uma curva concentração-resposta cumulativa à FEN (10-11-10-3 M) era induzida. Foi demonstrado assim que o treinamento reduziu em torno de 30% o tempo de execução dos saltos, sem aumentar a atividade da LDH, CK, PCR e MDA em nenhum dos grupos GT quando comparado com o seu grupo controle. Com relação aos experimentos funcionais, observou-se que para a reatividade contrátil, entre os grupos GS, apenas GS500 (pD2 = 5,6 ± 0,04 vs. 6,1 ± 0,06; 6,2 ± 0,02 e 6,2 ± 0,04), apresentou redução significativa na potência contrátil à FEN. No entanto para os grupos GT150 e GT500 reduziram a potência contrátil à FEN (pD2 = 5,0 ± 0,06 e 5,3 ± 0,05 vs. 5,6 ± 0,07 e 5,5 ± 0,05). Sendo que a dose de 500 mg/kg no grupo treinado reduziu a potência contrátil superior ao sedentário. Verificou-se ainda que a capacidade do treinamento de força e da S. platensis em reduzir a resposta contrátil foi eliminada na ausência do endotélio e a presença do L-NAME proporcionou uma maior resposta contrátil à FEN em todos os grupos, sendo essa resposta potencializada nos grupos GT e GS. Em relação à atividade relaxante nos grupos GS150 (pD2 = 7,0 ± 0,08 vs. 6,4 ± 0,06) e GS500 (pD2 = 7,3 ± 0,02 vs. 6,4 ± 0,06) a curva foi desviada para a esquerda, similarmente os grupos GT150 (pD2 = 7,6 ± 0,08 vs. 7,3 ± 0,02) e GT500 (pD2 = 8,0 ± 0,04 vs. 7,3 ± 0,02) também apresentaram o mesmo comportamento. No entanto, as suplementações nas doses de 150 e 500 mg/kg com o treinamento aumentaram ainda mais a resposta relaxante à ACh. A participação do NO foi reforçada quando se verificou aumento significativo na produção de nitrito na aorta de GT150 e GT500. A produção de MDA foi reduzida em todos os grupos em torno de 80%, enquanto o percentual de inibição da oxidação foi aumentado em torno de 50%, principalmente dos GT e GS nas doses de 150 e 500 mg/kg indicando uma potencialização na ação antioxidante entre essa associação. Assim, o presente estudo demonstrou que a suplementação crônica de S. platensis nas doses de 150 mg/kg e 500 mg/kg ou um programa de treinamento de força são isoladamente eficazes em promover um aumento na reatividade relaxante à ACh e uma diminuição na reatividade contrátil à FEN na aorta de rato, e ainda que a combinação destes dois procedimentos potencializa os efeitos. Estes efeitos são acompanhados por um aumento na concentração de nitrito, indicando participação da via do NO, por uma redução do estresse oxidativo e aumento na atividade antioxidante.
Abstract: The species Spirulina platensis has been linked to improved vascular function, but the effect of its association with strength training on vascular reactivity, had not yet been investigated. The objective was to verify the effects of strength training and S. platensis on vascular reactivity, biochemical parameters and oxidative stress in aorta of Wistar rats. The animals were divided into eight groups: sedentary (SG) and supplemented with S. platensis at doses of 50 (SG50); 150 (SG150) and 500 (SG500) mg/kg and trained groups (TG) and supplemented with S. platensis at doses of 50 (TG50); 150 (TG150) and 500 (TG500) mg/kg. The TG performed strength training for 8 weeks. Biochemical analysis was used to quantify the activity of creatine kinase (CK) and lactate dehydrogenase (LDH) levels of reactive C protein (RCP), nitrite, malondialdehyde (MDA) and antioxidant activity. To evaluate the vascular response induced is a cumulative concentration-response curve to phenylephrine (PHE) (10-9-10-3 M) and acetylcholine (ACh) (10-11-10-4 M). To assess the involvement of nitric oxide used is L-NAME and then a cumulative concentration-response curve to the FEN (10-11-10-3 M) was induced. It has been shown so training reduced by around 30% of time jumps without increasing the activity of LDH, CK, CRP and MDA in any of TG when compared to its control group. The functional experiments, it was observed that for contractile reactivity between the SG groups, only SG500 (pD2 = 5.6 ± 0.04 vs. 6.1 ± 0.06, 6.2 ± 0.02, and 6.2 ± 0.04), a significant reduction in the contractile power to FEN. However GT150 and GT500 for groups reduced the contractile power to FEN (pD2 = 5.0 ± 0.06 and 5.3 ± 0.05 vs. 5.6 ± 0.07 and 5.5 ± 0.05). Being that a dose of 500 mg/kg in the trained group reduced the contractile power above the sedentary. It was also found that the ability of strength training and S. platensis in reducing the contractile response was eliminated in the absence of the endothelium and the presence of L-NAME provided greater contractile response to FEN in all groups, and this enhanced response in TG and SG groups. Regarding the relaxing activity in the SG150 groups (pD2 = 7.0 ± 0.08 vs. 6.4 ± 0.06) and SG500 (pD2 = 7.3 ± 0.02 vs. 6.4 ± 0.06) the curve was shifted to the left, similarly the TG150 groups (pD2 = 7.6 ± 0.08 vs. 7.3 ± 0.02) and TG500 (pD2 = 8.0 ± 0.04 vs. 7.3 ± 0.02) also showed the same behavior. However, supplementation at doses of 150 and 500 mg/kg with training further increased relaxant response to ACh. The role of NO was increased when there was significant increase in nitrite production in the aorta of TG150 and TG500. The production of MDA was reduced in all groups around 80%, while the oxidation inhibition percentage was increased by around 50%, mainly from the TG and SG at doses of 150 and 500 mg/kg indicating an enhancement in action antioxidant between such an association. Thus, the present study demonstrated that chronic supplementation of S. platensis at doses of 150 mg/kg and 500 mg/kg or a strength training program alone are effective in promoting an increase in reactivity to ACh relaxing and a decrease in reactivity FEN contractile in the rat aorta, and that the combination of these two procedures enhances the effects. These effects are accompanied by an increase in nitrite concentration, indicating involvement of the NO pathway, by a reduction of oxidative stress and increased antioxidant activity.
Keywords: Exercício
Vasorrelaxamento
Vasoconstricção
Óxido nítrico
Atividade antioxidante
Exercise
Vasorelaxation
Vasoconstriction
Nitric oxide
Antioxidant activity
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Farmacologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos
Citation: BRITO, Aline de Freitas. Treinamento de força e suplementação alimentar com Spirulina platensis modulam a reatividade vascular da aorta de ratos wistar saudáveis dependente do no e da atividade antioxidante. 2014. 180 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2014.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6838
Issue Date: 18-Dec-2014
Appears in Collections:Centro de Ciências da Saúde (CCS) - Programa de Pós-Graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
aquivototal.pdf6,27 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.