Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6947
metadata.dc.type: Tese
Title: Intervenção psicoeducativa dirigida à prevenção de DSTs e gravidez não planejada para adolescentes jovens
metadata.dc.creator: Ribeiro, Karla Carolina Silveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Saldanha, Ana Alayde Werba
metadata.dc.description.resumo: Questões socioculturais e econômicas aumentam a vulnerabilidade dos jovens à infecção pelas DSTs/HIV e ao risco de uma gravidez não planejada, devendo ser abordados nas estratégias de prevenção, tendo em vista que a educação se desenvolve em espaços formais e não formais desde que haja interação entre as pessoas e saberes. Partindo destes pressupostos, este estudo está fundamentado na teoria da Vulnerabilidade e na teoria do Comportamento Planejado, tendo como objetivo elaborar e verificar os efeitos da aplicação de uma estratégia de intervenção psicoeducativa para a prevenção das DSTs e gravidez não planejada para adolescentes jovens, enfocando de modo abrangente e integrado os aspectos da vulnerabilidade individual, social e programático. Trata-se de um estudo com delineamento quase-experimental com grupo de controle, que se divide em 03 estudos: (1) Construção e Validação de um instrumento de avaliação da percepção de vulnerabilidade adolescente jovem para uso no pré e pós-teste. (2) Construção de uma estratégia de intervenção psicoeducativa. (3) Aplicação e avaliação da intervenção psicoeducativa. A população do estudo é constituída por jovens de 14 a 24 anos, matriculados em escolas públicas e privada de ensino médio da cidade de João Pessoa. Para o primeiro estudo, a amostra foi constituída por 432 estudantes, no qual foi aplicada a escala de Percepção frente à Vulnerabilidade. A escala foi construída através das bases teóricas da teoria da Vulnerabilidade e os seus itens foram delineados a partir de estudo anterior. A partir da Análise Fatorial dos Componentes Principais e o alpha de Crombach, obteve-se um instrumento com 29 itens, dividido em três fatores de vulnerabilidade individual, social e programático -, confirmando os pressupostos teóricos e evidencias empíricas. No segundo estudo foi construída uma intervenção psicoeducativa nos moldes de oficinas, com base na Teoria da Vulnerabilidade e Teoria do comportamento Planejado. A intervenção resultou em três encontros em dias consecutivos no qual foram discutidas a iniciação sexual, as ideologias de gênero, negociação e uso do preservativo, DST e gravidez, crenças e normas sociais. Para análise dos resultados foram gravados os 15 minutos finais de cada dia, no qual foi discutida a percepção dos participantes sobre a intervenção, transcritos e analisados por categorização temática. Os dados demonstraram sua adequação ao publico alvo. O terceiro estudo ocorreu em quatro instituições escolares pública e privada, onde foram formados randomicamente dois grupos (experimental e controle), compostos em média por 10 alunos, equiparados em relação a sexo. Após a aplicação do pré-teste, o grupo experimental participou da oficina psicoeducativa, enquanto para o grupo controle foram realizadas palestras informativas. Os debates realizados no grupo experimental foram gravados (autorização dos participantes). Passados 4 meses da intervenção, foi aplicado o pós-teste, cuja eficácia foi verificada através do test t para amostras emparelhadas. Para os dados qualitativos referentes aos relatos dos participantes durante o processo de Intervenção Psicoeducativa, foi utilizada Análise Categorial Temática. Os resultados provenientes do grupo experimental e controle demonstraram que a intervenção psicoeducativa se mostrou eficaz na mudança da percepção de vulnerabilidade individual (p<0,05), decréscimo no primeiro e aumento no segundo grupo. No que tange os dados qualitativos emergiram quatro Classes Temáticas: Vulnerabilidade Social (Crenças Normativas); Vulnerabilidade Programática (Acesso ao Insumo); Vulnerabilidade Individual (Uso do Preservativo, Crenças de Gênero e Informação); e Ressignificação após Intervenção (Autopercepção e Autocuidado). Conclui-se, portanto, que a presente pesquisa alcançou o objetivo proposto, demonstrando a necessidade de intervenções que priorize as relações intersubjetivas, o que possibilita a construção de sujeito-cidadão.
Keywords: Vulnerabilidade
Atitudes
DST/HIV
Adolescentes jovens
Gravidez não planejada
Vulnerability
Attitudes
STD/HIV
Young adolescents
Unplanned pregnancy
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Psicologia Social
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citation: RIBEIRO, Karla Carolina Silveira. Intervenção psicoeducativa dirigida à prevenção de DSTs e gravidez não planejada para adolescentes jovens. 2013. 230 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2013.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6947
Issue Date: 7-Mar-2013
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf2,29 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.