Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6954
metadata.dc.type: Tese
Title: Preconceito e Contato Intergrupal: Um estudo dos Núcleos de Apoio as Pessoas com Necessidades Específicas
metadata.dc.creator: Esteves Neto, Hildebrando
metadata.dc.contributor.advisor1: Torres, Ana Raquel Rosas
metadata.dc.description.resumo: Diante da globalização e dos acordos internacionais, a política do governo brasileiro passou a priorizar, em seu sistema educacional, o atendimento aos deficientes em classes comuns do ensino regular - Plano Nacional de Educação (Meta 4, 2012). Surge então um novo cenário no cotidiano das escolas, onde no aspecto social das relações, o preconceito tem um lugar de destaque. Nesse contexto, implantam-se políticas públicas promotoras de inclusão voltadas para a igualdade de oportunidades e convivialidade. Assim, o objetivo geral deste estudo foi investigar o preconceito e o contato intergrupal nos Núcleos de Apoio as Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE s), relacionados à inclusão escolar em classe comum. Para alcançar este objetivo, justificou-se como aporte teórico ampliar as reflexões frente à teoria do preconceito, do qual este trabalho se apropria dos conhecimentos acerca da teoria das representações sociais veiculadas neste meio políticas públicas de inclusão - a luz da teoria do contato e das relações intergrupais, por entender que estratégias baseadas no contato podem abrir novos horizontes, numa relação de trocas que existe entre o que é intrapsíquico, interpessoal, intergrupal ou societal. A amostra composta por 118 integrantes professores e administrativos - dos núcleos de inclusão do programa TECNEP/SETEC/MEC, denominados de NAPNE s, dos Institutos Federais brasileiro, com 75,4% do sexo feminino, 41,5% com idades entre 30 - 39 anos, com menos de 10 anos de atuação profissional (58,5%), e 70,3% preparados para o trabalho com deficientes. Aplicou-se o Método descritivo explicativo com abordagem qualitativa e quantitativa, tendo um caráter descritivo. O instrumento utilizado foi um questionário semi estruturado contemplando aspectos relativos à atuação; o apoio recebido; o grau de satisfação com as instalações e as principais dificuldades ou obstáculos. As variáveis foram mensuradas em escalas do tipo Likert e de Bogardus (1925), e por fim, questões sociodemográficas. Estes dados foram processados utilizando os softwares SPSS e EVOC, e analisados através de estatística descritiva. Os resultados mostraram 70,3% dos integrantes participando das relações intergrupais, porém 85,6% insatisfeitos com as instalações escolares e apenas 14,4% satisfeitos com o apoio institucional recebido, na escola há falta de contato nas relações (90,6%) junto as Pessoas com Necessidades Específicas se mostrando quase inexistente. A segregação foi rejeitada (92,3%). No que se referem aos resultados das análises entende-se que falta apoio de toda ordem aos núcleos, inexiste um contato efetivo, os integrantes estão ávidos em participar do processo concordando com a comunalidade da sala, e que esta política pública de inclusão na forma como se encontra provoca preconceito institucional, ensejando ajustes operacionais. A pesquisa mostra que a forma de trazer efeitos que resultariam em diminuição do preconceito numa relação de diferenças culturais e sociais aceitáveis pela sociedade moderna seja o contato intergrupal planejado e estruturado, e que, os Núcleos podem influenciar no processo da inclusão quando há maior frequência nos contatos intergrupais.
Abstract: In the face of globalization and international agreements, the politics of the Brazilian government began to prioritize in their educational system, care for the disabled in regular classes in regular education - National Education Plan (Goal 4, 2012). Then comes a new scenario in daily school where the social aspect of relations, prejudice has a prominent place. In this context, deploying up promoting public policies aimed at inclusion of equal opportunities and conviviality. Thus, the aim of this study was to investigate prejudice and intergroup contact in the Nucleus of Support to People with Special Needs (NAPNE's) related to educational inclusion in regular class. To accomplish this, was justified as the theoretical reflections extend toward theory of prejudice, which this work appropriates the knowledge about the theory of social representations conveyed in this medium - public politics of inclusion - the light of the theory of contact and of intergroup relations, understanding that strategies based on contact can open new horizons in terms of trade that exists between what is intrapsychic, interpersonal, intergroup or societal. The sample comprised 118 members - teachers and administrators - the inclusion of core TECNEP/ SETEC/ MEC program called NAPNE s, the Brazilian Federal Institutes, with 75,4% female, 41,5% aged 30 - 39 years old, with less than 10 years of professional experience (58,5%) , and 70,3% prepared to work with the disabled. We used the descriptive method with qualitative and quantitative explanatory approach with a descriptive character. The instrument used was a semi-structured questionnaire addressing aspects of performance; support received, the degree of satisfaction with the facilities and the main difficulties or obstacles. Variables were measured on the Likert scales and Bogardus (1925), and finally, sociodemographic questions. These data were processed using the SPSS software and EVOC, and analyzed using descriptive statistics. The results showed 70,3% of members participating in intergroup relations, but 85,6% dissatisfied with school facilities and only 14,4% satisfied with the institutional support received, at the school for lack of contact in relationships (90,6%) with Persons with Special Needs showing almost nonexistent. Segregation was rejected (92,3%). In referring to the results of the analysis means a lack of support of all kinds to the cores, nonexistent effective contact, members are eager to participate in the process agreeing with the commonality of the room, and that the public politics of inclusion in the way is causing institutional bias, allowing for operational adjustments. Research shows that the way to bring effects that would result in decreased bias in the ratio of acceptable cultural and social differences in modern society is the planned and structured intergroup contact, and that the cores can influence the process of inclusion when there are more frequent in intergroup contacts.
Keywords: Preconceito
Inclusão
Contato
Relações intergrupais
Políticas públicas
Prejudice
Inclusion
Contact
Intergroup relations
Public politics
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Psicologia Social
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citation: ESTEVES NETO, Hildebrando. Preconceito e Contato Intergrupal: Um estudo dos Núcleos de Apoio as Pessoas com Necessidades Específicas. 2014. 255 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2014.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6954
Issue Date: 6-Mar-2014
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf1,22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.