Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6985
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Síndrome de Burnout em profissionais da enfermagem: um estudo psicossociológico
metadata.dc.creator: Pereira, Denise Reinaldo
metadata.dc.contributor.advisor1: Coutinho, Maria da Penha de Lima
metadata.dc.description.resumo: Síndrome de Burnout (SB) está relacionada ao contexto do trabalho e surge como uma reação à tensão emocional crônica por lidar excessivamente com pessoas. O construto abrange três dimensões relacionadas, porém independentes: exaustão, despersonalização e baixa realização profissional. Esta Síndrome vem sendo considerada uma questão de saúde pública e, portanto, um problema social. Esta dissertação objetivou apreender as representações sociais dos profissionais da enfermagem que atuam no contexto hospitalar acerca da Síndrome de Burnout. Trata-se de um estudo de campo, de cunho qualitativo e quantitativo, aprovado pelo Comitê de Ética do HULW/UFPB e desenvolvido em um Hospital-Escola, localizado em uma cidade do Nordeste. Para a construção do mesmo foi utilizado à abordagem teórica das Representações Sociais. A amostra foi constituída por 102 funcionários, dos quais 29,4% são enfermeiros, 34,3% técnicos de enfermagem e 36,3% auxiliares de enfermagem, maioria do sexo feminino (91,2%), na faixa etária de 26 a 62 anos (M = 44; dp = 9,63), que foram submetidos aos instrumentos: questionário sociodemográfico; Inventário de Maslach Burnout (MBI); teste de associação livre de palavras (TALP), com os estímulos trabalho , enfermagem e esgotamento profissional ; e a entrevista em profundidade. Os dados oriundos do questionário sociodemográfico e MBI foram tratados pelo pacote estatístico Predicitive Analytics Software (PASW), versão 18, e analisados por meio da estatística descritiva. Os resultados da TALP foram processados no programa computacional Tri-Deux-Mots e analisados por meio da análise fatorial de correspondência e os conteúdos das entrevistas processados pelo Alceste e analisados por meio da análise padrão. Os resultados apontaram que estes profissionais apresentam um perfil diversificado como, por exemplo: 39,2% apenas com o ensino médio, 23,5% ensino superior e 37,3% pós-graduação; 52% são casados; maioria com idade de 55 anos (3,6%); trabalham mais de 40 horas semanais (82,4%), no turno dia e noite (54,9%), com 12 anos de profissão (7,8%); possuem apenas 1 emprego (50%) e 2 empregos (42,2%), no entanto 2% relataram possuir 4 empregos. Em relação ao MBI, observou-se a incidência de 23,5% de Síndrome de Burnout e a classe técnica de enfermagem pontuou mais elevado em todas as três dimensões. Os resultados obtidos por meio da TALP evidenciaram que as Representações Sociais da Síndrome de Burnout, elaboradas pelos profissionais da enfermagem foram ancoradas nas esferas comportamental, social e psicológica, ao objetivar elementos que fazem parte dos desencadeadores (excesso de trabalho, desvalorização, desunião) sintomas (irritação, nervosismo, dor, no limite) e sinônimos utilizados pelo senso comum para a síndrome (estafa). Os resultados oriundos das entrevistas revelaram um dendrograma estruturado por 4 classes temáticas, demonstrando um aperfeiçoamento de 83% do corpus, cujos conteúdos representacionais estão associados a ausência de reconhecimento da profissão, prática profissional, processo do adoecer e justificativa da escolha profissional, ancoradas nas experiências histórico-sociais da profissão. Espera-se que os resultados advindos desta pesquisa, possam contribuir para reflexão teórica e prática deste construto que atinge não apenas o ator social, mas as instituições e, sobretudo os pacientes.
Abstract: The Burnout Syndrome (BS) is related to the work context and appears as a reaction to the chronic emotional tension for dealing excessively with people. The construct encompasses three related dimensions, however independent: exhaustion, depersonalization and low professional realization. This syndrome has been considered a matter of public health and, therefore, a social problem. This dissertation aimed to apprehend the social relations of nursery professionals who acts in the hospital context regarding the Burnout Syndrome. This is a field research, qualitative and quantitative, approved by the Ethics Committee of the HULW/UFPB and developed in a campus hospital, localized in a city in the Northeast. For the construction of the hospital it was used the Social Representations theoretical approach. The sample was consisted of 102 employees, of whom 29.4% were nurses, 34.3% practical nurses and nursing assistants 36.3%, mostly female (91.2%) ranging from 26 to 62 years (M = 44 , SD = 9.63) , which were submitted to the instruments: sociodemographic questionnaire , the Maslach Burnout Inventory (MBI), free word association test (TALP), with the stimuli "work", "nursing", "burnout" and in-depth interviews. Data provided by sociodemographic questionnaire and MBI were treated by statistical package Predicitive Analytics Software (PASW), version 18 and analyzed using descriptive statistics. The results were processed in TALP computational Tri-Deux-Mots and analyzed by factorial correspondence analysis and the contents of the interviews were processed by Alceste and analyzed using the standard analysis. The results showed that these professionals have a diverse profile, for example, only 39.2% had high school , 23.5% and 37.3% higher education graduate, 52% are married, most aged 55 years (3.6%), working more than 40 hours per week (82.4%), day and night shift (54.9%), with 12 years of experience (7.8%), having only one job (50%) and 2 jobs (42.2%), however 2% reported having 4 jobs. Regarding MBI, there was a 23.5% incidence of burnout syndrome and technical nursing class scored highest in all three dimensions. The results obtained through TALP showed that the social representations of burnout syndrome, developed by nursing professionals were anchored in the behavioral, social and psychological spheres by targeting elements that are part of the trigger (overwork, devaluation, disunity) symptoms (irritation, nervousness, pain, in the limit), and synonyms used by common sense for the syndrome (burnout). The results derived from structured interviews revealed by 4 thematic classes dendrogram, showing an improvement of 83% of the corpus, whose representational contents are associated with lack of recognition of the profession, professional practice, the illness process and justification of vocational choice, anchored in the socio-historical experiences of the profession. It is expected that the results arising from this research can contribute to theoretical and practical reflection of this construct that affects not only the social actor, but institutions and above all, the patients.
Keywords: Síndrome de Burnout
Profissionais da enfermagem
Representações sociais
The Burnout Syndrome
Nursing professionals
Social representations
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Psicologia Social
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citation: PEREIRA, Denise Reinaldo. Síndrome de Burnout em profissionais da enfermagem: um estudo psicossociológico. 2014. 161 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2014.
metadata.dc.rights: Acesso aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6985
Issue Date: 25-Feb-2014
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf1,56 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.