Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8165
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Qualidade de vida de idosos no contexto do trabalho e suas Representações Sociais
Other Titles: Quality of life of the elderly in the context of work and their social representations
metadata.dc.creator: Costa, Iluska Pinto da
metadata.dc.contributor.advisor1: Silva, Antonia Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor2: Bezerra, Valéria Peixoto
metadata.dc.description.resumo: Introdução: O envelhecimento populacional traz consigo a presença ativa de idosos no mercado de trabalho, tornando-se um desafio proporcionar uma melhor qualidade de vida (QV) a esse grupo. Diante disso, o presente estudo objetiva avaliar a QV de idosos que trabalham e que não trabalham; e conhecer as suas representações sociais sobre QV. Método: Estudo exploratório e descritivo, realizado com 113 idosos de um grupo de convivência no município de Cajazeiras – PB. A coleta dos dados foi realizada através de entrevista, utilizando-se um questionário sociodemográfico, o Teste de Associação Livre de Palavras (TALP) e os WHOQOL-BREF e WHOQOL-OLD. Os dados sociodemográficos e dos testes de verificação da qualidade de vida foram processados no SPSS versão 2.0 e do TALP pelo software Iramuteq versão 0.6. Resultados: Dos 113 idosos, 44,2% trabalham e 55,8% não trabalham. Em ambos os grupos a maioria foi de mulheres e com 87,3% que não trabalham. No grupo de idosos que trabalha, 32% dos idosos pertence a faixa etária de 60-64 anos e 28,6% do grupo que não trabalha encontram-se entre 65-69 anos. O estado civil de casado predomina no grupo que trabalha (56%) e à escolaridade de ensino fundamental incompleto em ambos os grupos, com 48,0% dos que trabalham e 61,8% dos que não trabalham. Com relação à renda familiar mensal, 48,0% dos idosos que trabalham e 65,1% dos que não trabalham ganham entre um e três salários mínimos. Entre os aposentados, 72,0% permanecem trabalhando enquanto 90,5% não se encontram nessa atividade. Sobre o arranjo familiar, identificou-se que 23,8% dos idosos que não trabalham vivem apenas com o cônjuge, e 30% dos que trabalham vivem com cônjuge e filho. Quanto a religião, 80,0% dos que trabalham e 92,1% dos que não trabalham pertencem ao catolicismo. Referente à avaliação da QV, os idosos que trabalham apresentaram maiores escores médios na maioria dos domínios do WHOQOL-BREF e facetas do WHOQOL-OLD, evidenciando-se o domínio Psicológico (70,08) e a faceta Habilidades Sensoriais (72,50). Entre os idosos que não trabalham os escores para QV foram evidenciados nos domínios Psicológico (66,79) e na faceta Morte e Morrer (72,2). Quanto as Representações Sociais sobre QV construídas pelos idosos, quatro classes emergiram da análise textual: Aspectos sociais, Condições Econômicas, Sentimentos Positivos e Participação no grupo. Sobre a relação entre trabalho e QV, observou-se que diferenças significativas entre as representações atribuídas a QV nos dois grupos: os idosos que trabalham, associam a QV a bens materiais, enquanto que aqueles que não trabalham, veem a qualidade de vida associadas a questões emocionais, a sentimentos positivos e as interações sociais desenvolvidas a partir da convivência em grupos. Conclusão: Observou-se entre os idosos que trabalham, maiores escores nos domínios e facetas dos instrumentos que analisam a QV, demonstrando que o trabalho permite ao idoso a conservação da sua saúde física, mental, das habilidades sensoriais e relações sociais. Percebeu-se ainda que as representações sociais atribuídas à qualidade de vida demonstraram a relação destas com a variável trabalho.
Abstract: Introduction: Population aging brings with it the active presence of the elderly in the labor market, making it a challenge to provide a better quality of life (QOL) for this group. Thus, the present study aims to evaluate the QOL of working and not working elderly people; and to know their social representations on QOL. Method: An exploratory and descriptive study with 113 elderly of a social group in the city of Cajazeiras - PB. Data collection was carried out through interviews, using a sociodemographic questionnaire, the Free Association Test (FAT) and WHOQOL-BREF and WHOQOL-OLD. Sociodemographic data and the quality of life verification tests were processed using the SPSS version 2.0 and FAT by Iramuteq software version 0.6. Results: 44.2% of the 113 elderly work and 55.8% do not. In both groups the majority were women and 87.3% of those women do not work. In the group of older people working, 32% of seniors belong to the age group of 60-64 years old and 28.6% of the group that does not work are between 65-69 years old. The civil status married predominates in the working group (56%) and incomplete primary school education in both groups, with 48.0% of those who work and 61.8% of those not working. Regarding family income, 48.0% of seniors who work and 65.1% of those who do not work earn between one and three times the minimum wage. Among retirees, 72.0% remain working while 90.5% do not. Regarding the family arrangement, it was identified that 23.8% of the elderly who do not work live only with their spouse, and 30% of those working live with spouse and child. As for religion, 80.0% of those who work and 92.1% of those who do not work are Catholics. On the assessment of QoL, the elderly working had higher average scores in most areas of the WHOQOL-BREF and facets of WHOQOL-OLD, demonstrating the psychological domain (70.08) and Sensory Skills facet (72.50). Among the elderly who do not work the scores for QoL were detected in psychological domain (66.79) and facet Death and Dying (72.2). Considering the social representations about QoL built by the elderly, four classes emerged from textual analysis: Social Aspects, Economic Conditions, Positive Feelings and Participation in the group. About the relationship between work and QOL, it was detected significant differences among the representations of QOL in both groups: older people working, associate QOL to material goods, while those who do not work, see the quality of life associated with emotional issues, positive feelings and social interactions developed from living in groups. Conclusion: It was observed among older people working, higher scores in the fields and facets of instruments that analyze QOL, demonstrating that the work allows the elderly to maintain their physical, mental and sensory skills and social relationships. It was also felt that the social representations attributed to quality of life demonstrated its relationship to the variable job.
Keywords: Envelhecimento
Aging
Qualidade de vida
Representações sociais
Quality of life
Social representations
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Enfermagem
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Enfermagem
Citation: COSTA, Iluska Pinto da. Qualidade de vida de idosos no contexto do trabalho e suas Representações Sociais. 2015. 106 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8165
Issue Date: 26-Feb-2015
Appears in Collections:Centro de Ciências da Saúde (CCS) - Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdfArquivo Total1,42 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.