Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8431
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A construção semiótica da mulher que trabalha: uma análise sócio-histórica e imagética de capas da revista Veja
metadata.dc.creator: Araújo, Rafaelle de Freitas Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Almeida, Danielle Barbosa Lins de
metadata.dc.description.resumo: De acordo com Perrot (2012) as mulheres de todos os tempos sempre trabalharam, só que, antigamente, esses afazeres eram realizados no campo da domesticidade, e acabavam sendo invisíveis aos olhos da sociedade. Hoje, no entanto, “as mulheres estão numa fase profissional sem igual na história brasileira, e o impacto disso ainda vai merecer muito estudo” (Veja, 2000, p.131). A fim de contribuir para a compreensão desse fato social que investigamos sistematicamente como a mulher que se insere no mercado de trabalho tem sido representada nas capas da revista Veja até o ano de 2012 e quais são os discursos subjacentes veiculados pelas imagens. Para tanto, analisamos um corpus de seis capas que foram selecionadas porque apresentavam verbalmente e visualmente referência à mulher e ao mercado de trabalho. A partir deste corpus procuramos apontar mudanças históricas no modo de representação da mulher que trabalha, assim como descrever como foi imageticamente materializada a representação da mulher, observando como foram mobilizados os recursos semióticos a fim de produzirem [potenciais] significados. O presente trabalho, que parte da semiótica social, filia-se a uma de suas ramificações que permite o estudo sistêmico das imagens através da Gramática do Design Visual de Kress e van Leeuwen (2006). Por se tratar de uma pesquisa interdisciplinar, utilizamos também pesquisas de cunho histórico (PERROT, 2012; PINSKY e PEDRO, 2013) e dados econômicos sobre a inserção da mulher no mercado de trabalho, também trazemos discussões sobre o papel da mídia na sociedade (CHARAUDEAU, 2013), e nos baseamos também em pesquisas importantes do campo da multimodalidade e de gênero (ALMEIDA, 2006; BEZERRA, 2012). Os resultados das análises sistêmicas das capas mostraram que há um fluxo contínuo e recursivo de mudanças discursivas, que em determinados momentos produzem representações empoderadas das mulheres que trabalham fora, porém, em outros, essas representações são construídas de modo a reforçar concepções conservadoras que insistem em relembrá-las os antigos papéis sociais que eram reservados exclusivamente para elas.
Abstract: According to Perrot (2012) women of all time have always worked, but in the past, these tasks were performed in the domestic sphere and ended up being invisible to the eyes of society. Today, however, women are in a unique professional stage in Brazilian history, and the impact of this is worth studying (Veja, 2000). Considering that, this research aims to contribute to the understanding of this social fact, investigating systematically how working women have been represented on Veja magazine covers until 2012 and the underlying discourse conveyed by the images. We analyzed a corpus of six covers that were selected because they had verbal and visual reference to women and the labor market. In this corpus, we investigated historical changes of women representation and also analyzed how women's representation were imagetically materialized by observing how the semiotic resources were mobilized in order to produce [potential] meanings. The theoretical framework used is social semiotics, more specifically the Grammar of Visual Design (KRESS and VAN LEEUWEN, 2006), that allows for a systemic investigation of images. As this is an interdisciplinary research, we also use historical studies (PERROT, 2012; PINSKY, PEDRO, 2013) and economic data about the inclusion of women in the labor market. We discussed the role of the media in society (CHARAUDEAU, 2013) and used important research in the field of multimodality and gender (ALMEIDA, 2006; BEZERRA, 2012). The results of the systemic analysis of the selected covers showed that there is a continuous and recursive flow of discursive changes, which at certain times produce empowered representations of women who work, but, in others, these representations are constructed to reinforce conservative views that insist on reminding women of the old social roles that were reserved exclusively for them.
Keywords: Multimodalidade. imagens. representação da mulher. mercado de trabalho.
Multimodality. images. representation of women. labor market.
metadata.dc.subject.cnpq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Linguística e ensino
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Linguística
Citation: ARAÚJO, Rafaelle de Freitas Oliveira. A construção semiótica da mulher que trabalha: uma análise sócio-histórica e imagética de capas da revista Veja, 2015. 99 f. Dissertação, (Mestrado em Linguística) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8431
Issue Date: 20-May-2015
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Linguística

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo total.pdf4,22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.