Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9568
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Imagens da doença, políticas da notícia: Cenários e representações da aids na imprensa paraibana (1980)
metadata.dc.creator: Aguiar Júnior, Fernando Domingos de
metadata.dc.contributor.advisor1: Bueno, Joao Batista Gonçalves
metadata.dc.description.resumo: A presente dissertação teve por objetivo central perceber por meio dos jornais – A União, O Norte e Correio da Paraíba – os discursos sobre a aids no cenário local, no contexto paraibano, iniciando-se por meio de reflexões teóricas que justificam a escolha dos jornais e da imprensa paraibana enquanto objetos desta pesquisa, ao mesmo passo que se apresenta uma narrativa que também busca justificar a tomada da doença – neste caso a aids – enquanto uma questão também da história, especificamente, por estar envolvida no contexto humano, revelando reações, relações, leituras e mudanças no contexto dos paradigmas sociais. A aids é apresentada no cenário das ciências humanas enquanto uma doença que foi anunciada pela imprensa, antes de seus primeiros casos serem diagnosticados, este também é o contexto encontrado na Paraíba – a notícia chega antes e ajuda a construir imagens da doença. Diante do contexto dos anos 1980, quando surge os primeiros casos de aids, pouco se sabia sobre a aids, com isso, imagens e metáforas foram creditadas à doença e consequentemente aos doentes. Neste cenário de limites e ignorância, a doença foi rodeada por preconceitos e personificadas por meio dos doentes, alvos de um estado que foi omisso e lento nas respostas efetivas de enfrentamento à epidemia, ao mesmo passo que as medidas criadas reforçavam preconceitos, resultando em violências cotidianas, num cenário já doloroso para os doentes. A recusa em aceitar tais violências levou os movimentos dos homossexuais pelo país a repensarem suas lutas; desse modo, organizaram-se em grupos que ultrapassaram os limites do campo da sexualidade, e juntos cobraram do Estado brasileiro respostas contra a doença, levando o país a tornar-se referência mundial no enfrentamento à aids. Nesta pesquisa, podemos identificar os debates e discursos realizados por meio da imprensa paraibana, desde a exaustão da instituição dos grupos de risco até o questionamento desse lugar reservado à aids, abordando a doença e os doentes enquanto uma questão não prioritária para o estado da Paraíba, passando pela inviabilidade dos hospitais paraibanos em prestar assistências aos doentes, até a necessidade de acionar a saúde nos estados vizinhos, para cuidar daqueles que a Paraíba recusava-se em assistir. Desse modo, apresenta-se parte desse panorama da aids no contexto paraibano.
Abstract: This dissertation had as main objective to realize through the newspapers – A União, O Norte and Correio da Paraíba – speeches about aids in the local scene, in Paraíba context. Starting up through theoretical considerations that justify the choice of newspapers and the press from Paraíba as objects of this research. At the same step, it presents a narrative that also seeks to justify taking the disease – aids in this case – also as a matter of history, specifically, because it is involved in the human context, revealing reactions, relationships, readings and changes inside the context of the social paradigms. Aids is presented in the scenario of the human sciences as a disease that was previously announced by the press, even before the first cases being diagnosed, this is also the dispute found in Paraiba - the news comes first and helps building images of the disease. On the context of the 1980s, when the first cases of aids, little was known about aids, therefore, images and metaphors were credited to the disease and therefore patients arises. In this scenario limits and ignorance, disease was surrounded by prejudice and personified by the patients, the target of a state that was silent and slow in effective responses to confront the epidemic, the same step that the measures created reinforced prejudices, resulting in violence daily, a scenario already painful for patients. The refusal to accept such violence, Led the movements of homosexuals in the country, to rethink their struggles; thereby organized into groups that exceeded the limits of the field of sexuality, and demanded that the Brazilian state responses against the disease together, bringing the country to become a world reference in fighting aids. In this research, we can identify the debates and speeches made by paraibana press, from the exhaustion of the institution of the risk groups, to the question of the place reserved for aids, addressing the disease and patients as a non-priority issue for the state, through the infeasibility of paraibanos hospitals to provide assistance to the sick, to the need to trigger health in neighboring states, to take care of those who Paraíba refused to attend. Thus, it presents part of this panorama of aids in Paraíba context.
Keywords: História da AIDS
Imprensa – Paraíba
Homoafetivo
Representação
History of AIDS
Press – Paraíba
Homoafetivo
Representation
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: História
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em História
Citation: AGUIAR JÚNIOR, Fernando Domingos de. Imagens da doença, políticas da notícia: Cenários e representações da aids na imprensa paraibana (1980). 2016. 200 f. Dissertação (Mestrado em História)- Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa,2016.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9568
Issue Date: 31-Aug-2016
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdfArquivo total4,22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.