Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9916
Tipo: Tese
Título: Engajamento escolar e depressão: um estudo correlacional com crianças e adolescentes
Autor(es): Gouveia, Rildésia Silva Veloso
Primeiro Orientador: Coutinho, Maria da Penha de Lima
Resumo: Embora a depressão possa ser mais comum na vida adulta, ela também está presente em crianças e adolescentes, sendo reconhecida como merecedora de atenção, principalmente, a partir dos anos 1970. Este distúrbio do humor compromete diversas capacidades humanas, como aquelas de pensar e executar tarefas, sobretudo devido à apatia e ao desânimo inerentes a este quadro sintomatológico. No caso específico desses jovens, uma área que pode ser claramente comprometida é a escolar, com isolamento e presumível diminuição de engajamento por parte de crianças e adolescentes com respeito às atividades escolares. Contudo, apesar de estes aspectos serem ressaltados na literatura, ainda são escassos os estudos que procuram comprovar a associação entre engajamento escolar e depressão, principalmente tendo-se em conta diferentes faixas-etárias. Além destes problemas, acentua-se igualmente que, ao menos no contexto brasileiro, não foi encontrada qualquer medida sobre engajamento escolar, nem foi observada a prevalência de depressão entre crianças e adolescente em cidades como Aracaju e Maceió. Frente a este contexto, decidiu-se realizar a presente tese, cujos objetivos principais foram: (1) adaptar a Escala de Engajamento Escolar e conhecer evidências de seus parâmetros psicométricos (validade fatorial e consistência interna), (2) testar a invarância da estrutura fatorial desta medida em relação ao sexo dos participantes, (3) conhecer a prevalência da depressão entre crianças e adolescentes escolares destas duas capitais, (4) identificar os correlatos da depressão e do engajamento escolar, avaliando em que medida estes construtos estão correlacionadas entre si e (5) saber se esta presumível correlação varia em função da idade dos participantes. Participaram deste estudo 1.883 jovens escolares, distribuídos em duas cidades: Aracaju (n = 981) e Maceió (n = 902). Estes tinham uma média de 14,2 anos de idade (dp = 1,98; amplitude de 10 a 18 anos), sendo a maioria do sexo feminino (52,2%) e matriculada em escola privada (57,6%). Os participantes responderam um livreto contendo uma série de instrumentos, sendo os seguintes de interesse nesta tese: Escala de Engajamento Escolar (EEE), Inventário de Depressão Infantil (CDI) e Questionário Demográfico. Os resultados mostraram a comprovação da estrutura fatorial da EEE, formada por três fatores (absorção, dedicação e vigor), sendo invariante em relação ao sexo dos participantes. Constatou-se uma prevalência de depressão de 6,4% em Aracaju e 4,4% em Maceió. Além disso, verificou-se nestas duas cidades que a depressão tem pouco em comum com a idade e o sexo dos participantes, porém se correlacionou negativamente com indicadores de integração social. Por outro lado, o engajamento escolar não se correlacionou com a idade, mas foi mais intenso entre as mulheres. Independentemente da cidade, o engajamento se correlacionou positivamente com integração social e pertença escolar. A depressão e o engajamento escolar se correlacionaram negativamente entre si, embora a magnitude desta correlação tenha variado segundo a idade dos participantes. Finalmente, elaborou-se um modelo explicativo preliminar com a seguinte hierarquia: depressão --> retraimento sócio-escolar --> engajamento escolar, o qual se mostrou adequado nas duas cidades. Estes resultados foram discutidos à luz da literatura, indicando bastante convergência dos achados. Procurou-se ainda levantar limitações potenciais do estudo, pensar acerca de sua aplicabilidade e sugerir estudos que deverão atrair a atenção dos pesquisadores dedicados ao tema.
Abstract: Although depression is more commonly found during adulthood, it is also observed in children and adolescents, deserving attention especially since the 1970s. This humour disorder jeopardizes several human abilities, such as thinking and task performance, mainly due to the apathy and discouragement inherent to this symptomatic pattern. Regarding the specific case of these youngsters, an area that can he clearly jeopardized is the school, due to children and adolescents' isolation and lack of engagement on school tasks. Although these aspects are emphasized in the literature, there is a lack of studies that aim at testing the association between school engagement and depression, especially considering different age groups. It is also necessary to highlight that no measure of school engagement was found in the Brazilian milieu, nor it was observed any studies on the prevalence of depression among children and adolescents in cities such as Aracaju and Maceid. Based on this context, it was decided to develop the present dissertation, with the following main objectives: (1) adapting the School Engagement Scale and investigating its psychometric parameters (factor validity and internal consistency), (2) testing the factor structure invariance of this measure with respect to participants' gender, (3) examining the prevalence of depression among children and adolescents in schools from these two capitals, (4) identifying the correlates of depression and school engagement, analysing to what extent these constructs are correlated among themselves, and (5) investigating if this presumably correlation varies according to participants' age. Participants were 1,883 school children and adolescents, divided in two cities: Aracaju (n = 981) and Maceio (n = 902). They presented a mean age of 14.2 years (sd = 1.98; ranging from 10 to 18 years), most of them females (52.2%) and enrolled in private schools (57.6%). They answered a questionnaire booklet with a set of instruments: School Engagement Scale (SES), Children's Depression Inventory (CDI) and a Demographic Questionnaire. Results confirmed the factor structure of the SES, divided in three dimensions (absorption, dedication, and vigor) and this structure was invariant in relation to participants' gender. It was observed a prevalence of depression of 6.4% in Aracaju and 4.4% in Maceio. In these two cities, it was also observed that depression was not associated with participants' age and gender, whereas it was negatively associated with social integration indicators. On the other hand, school engagement was not correlated to age, but it was higher between women. Independent of city, the engagement was directly correlated to social integration and school belonging. Depression and school engagement was negatively correlated with each other, although the magnitude of this association varied according to participants' age. Finally, a model was developed with the following hierarchy: depression —+ social-school withdrawal —> school engagement, which was found to be adequate in both cities. Results were discussed based on the literature, indicating the convergence of these findings. Potential limitations of this study were discussed, as well as its applicability and future studies that appeal to researchers dedicated to the topic.
Aunque la depresión pueda ser más frecuente entre los adultos, también está presente en niños y adolescentes, siendo reconocida como merecedora de atención, sobre todo a partir de los años 70. Éste desorden de humor compromete diversas capacidades humanas, como aquellas de pensar y ejecutar tareas, principalmente debido al apatía y al desánimo inherentes a este cuadro sintomatológico. En el caso específico de éstos jóvenes, un área que puede ser claramente comprometida es la escolar, con el aislamiento y presumible disminución del engagement por parte de los niños y adolescentes con respeto a las actividades escolares. Sin embargo, aunque estos aspectos sean resaltados en la literatura, aún son escasos los estudios que investigan la asociación entre engagement escolar y depresión, principalmente teniendo en cuenta diferentes franjas de edad. Además de estos problemas, hay que señalar que en el contexto brasileño no se ha encontrada una medida específica de engagement escolar, ni se observó la prevalencia de depresión entre niños y adolescentes en ciudades como Aracaju y Maceió. Teniendo en cuenta estos aspectos, se decidió realizar la presente tesis doctoral, cuyos objetivos principales han sido: (1) adaptar la Escala de Engagement Escolar y conocer evidencias de su validez factorial y fiabilidad, (2) comprobar la invarianza factorial de esta medida con respecto al sexo de los participantes, (3) conocer la prevalencia de la depresión entre niños y adolescentes escolares de estas dos capitales, (4) identificar los correlatos de la depresión y del engagement escolar, evaluando en qué medida estos constructos están correlacionados entre ellos y (5) saber si esta presumible correlación varía según la edad de los participantes. Participaron de este estudio 1.883 jóvenes escolares, distribuidos en dos ciudades: Aracaju (n = 981) y Maceió (n = 902). Su promedio de edad fue de 14.2 años (di = 1.98; rango de 10 a 18 años), la mayoría mujeres (52.2%) y de escuelas privadas (57.6%). Los participantes rellenaron una batería con una serie de instrumentos, entre ellos los siguientes que interesan en esta tesis: Escala de Engagement Escolar, Inventario de Depresión Infantil y Cuestionario Demográfico. Los resultados mostraron que se confirma la estructura factorial de la EEE, formada por tres factores (absorción, dedicación y vigor), siendo invariante según el sexo de los participantes. Se observó prevalencia de depresión de un 6.4% en Aracaju y un 4.4% en Maceió. Además, se verificó en estas dos ciudades que la depresión no se correlacionó con la edad y el sexo de los participantes, aunque sí lo hizo negativamente con indicadores de integración social. Por otro lado, el engagement escolar no se correlacionó con la edad, pero fue más intenso en las mujeres. Independientemente de la ciudad, dicha variable se correlacionó positivamente con integración social y pertenencia escolar. La depresión y el engagement escolar se correlacionaron negativamente entre ellos, aunque la fuerza de esta correlación haya variado según la edad de los participantes. Finalmente, se elaboró un modelo explicativo preliminar con la siguiente jerarquía: depresión —› retraimiento socioescolar -+ engagement escolar, que se ha presentado como adecuado en las dos ciudades. Estos resultados han sido discutidos a la luz de la literatura, habiendo una fuerte convergencia con los hallazgos previos. Se discuten las limitaciones potenciales del estudio, su aplicabilidad y se sugieren posibles estudios futuros que puedan resultar de interés para avanzar en este tópico de investigación..
Palavras-chave: Engajamento
Depressão
Escola
Crianças
Adolescentes
Engagement
Depression
School
Children
Adolescents
Escuela
Depresión
Niños
CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal da Paraíba
Sigla da Instituição: UFPB
Departamento: Psicologia Social
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citação: GOUVEIA, Rildésia Silva Veloso. Engajamento escolar e depressão: um estudo correlacional com crianças e adolescentes. 2009. 249 f. Tese (Doutorado Psicologia Social) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9916
Data do documento: 18-Mai-2009
Aparece nas coleções:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivototal.pdfArquivo Total49,71 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.