Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3151
metadata.dc.type: TCC
Title: A influência dos antecedentes disponíveis e não disponíveis no processamento da anáfora “ele (a) mesmo (a)”
metadata.dc.creator: Araújo, Elioenai Macena de
metadata.dc.contributor.advisor1: Oliveira, Rosana Costa de
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho objetiva analisar a resolução da correferência da anáfora “ele (a) mesmo (a)”, no português brasileiro. Badecker & Straub (2002), Sturt (2003) e Kennison (2003) admitem que tanto os antecedentes disponíveis quanto os indisponíveis à anáfora, estruturalmente, numa oração, influenciam a resolução da correferência. Nicol & Swinney (1989) destacam a Hipótese de Filtro de Ligação Inicial, que vaticina a exclusão imediata dos antecedentes inacessíveis na resolução correferencial da anáfora, isto é, eles não podem ser considerados na interpretação. Diante disso, adotamos os mesmos métodos experimentais de Oliveira, Leitão e Henrique (2012), substituindo apenas seu termo anafórico a si mesmo (a), por ele (a) mesmo (a). O material de análise consiste em setenta e duas frases, sendo vinte e quatro conjuntos de frases experimentais com seis condições e quarenta e oito frases distratoras. Cada frase é seguida de uma pergunta de compreensão que solicita resposta “sim” ou “não”. Por meio do programa Psyscope, utilizamos a técnica on line de leitura auto-monitorada, tendo como variáveis independentes o gênero dos antecedentes disponíveis, o gênero dos antecedentes indisponíveis e o gênero da retomada. Já as variáveis dependentes foram às medidas on-line dos tempos de leitura do segmento crítico, neste caso a anáfora, e do segmento seguinte, a preposição. Outra variável dependente é a medida off line dos índices de acertos e tempos de respostas. O experimento foi aplicado a vinte e quatro alunos de graduação da UFPB. Os resultados obtidos nesse trabalho corroboram com os resultados obtidos por Oliveira et al. (2012), ou seja, apenas os antecedentes disponíveis influenciam a resolução correferencial da anáfora. Esses trabalhos apresentam leves diferenças nos dados do experimento off line, pois no ele(a) mesmo(a) encontramos evidências significativas da influência do traço [+pronominal] em função da resolução correferencial da anáfora em questão.
Abstract: Not available.
Keywords: Anáfora
Teoria de ligação
Língua Portuguesa
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Letras Clássicas e Vernáculas
metadata.dc.rights: Acesso restrito
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3151
Issue Date: 16-Apr-2013
Appears in Collections:TCC - Letras - Português (Curso presencial)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EMA16042013.pdf485,47 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons