Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3400
metadata.dc.type: TCC
Title: A Etnomatemática no comércio: uma descrição da matemática utilizada por feirantes da cidade de Capim - PB
metadata.dc.creator: Figueiredo, Jonildo Manoel de
metadata.dc.contributor.advisor1: Grymuza, Alissá Mariane Garcia
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo propõe investigar a Etnomatemática no comércio os conhecimentos matemáticos empregados em operações comerciais que são utilizadas pelos feirantes da cidade de Capim-PB, situada no vale do Mamanguape. Para isso definimos como objetivo geral identificar a matemática produzida ou utilizada na feira livre para entender que conhecimentos matemáticos que os feirantes usam em suas atividades diárias de trabalho. Na fundamentação teórica trazemos a discussão acerca da Etnomatemática utilizando os respaldos de: D’Ambrósio (1990, 2013); Nunes, Carraher e Schleimann (2011); Mendes (2009); Esquincalha (2004) e PCN – Brasil (1998) entre outros. A pesquisa caracteriza-se como investigativa de natureza qualitativa e quanto aos objetivos do presente estudo, do tipo exploratório-descritiva, sendo que a coleta de dados se deu através de observações feitas na feira livre, com a elaboração e aplicação de entrevistas com quatro feirantes. Após a coleta dos dados foi feita uma análise dos relatos dos feirantes, averiguando a matemática utilizada pelos mesmos na feira livre. Com o resultado das análises percebe-se que alguns procedimentos feitos por estes feirantes contêm conhecimentos matemáticos específicos. Identificamos diversas formas de utilização da Matemática praticada pelos feirantes desta cidade, caracterizando-as como conhecimento popular que pode ser estruturada como uma matemática científica, contribuindo ambas para o desenvolvimento da sociedade e no meio acadêmico. Além disso, o conhecimento matemático é obtido tanto no ambiente escolar quanto fora dele, e o saber matemático que a feira nos transmite é constituído em situações-problema encontradas naquele ambiente. Compreendemos que os feirantes usam os seus conhecimentos matemáticos na feira livre, é uma matemática que foi desenvolvida a partir de aprendizados escolares e não escolares, pelo fato de que nem todos os sujeitos entrevistados terem ou não algum grau de instrução, como também pelas atividades laborais que são executadas com as várias repetições em seus cotidianos. Este estudo nos mostrou que a feira pode ser sim um ambiente em que o professor pode usar como sala de aula, tornando-a uma ferramenta de transmissão de conhecimento para seus alunos.
Abstract: The present study proposes to investigate the ethnomathematics in commerce the mathematical knowledge used in commercial operations that are used by the fairgrounds of the city of CapimPB, located in the valley of the Mamanguape. For this we define as a general objective to identify the mathematics produced or used in the fair to understand what mathematical knowledge the marketers use in their daily work activities. In the theoretical basis we bring the discussion about thnomathematics using the backs of; D 'Ambrósio (1990, 2013), Nunes, Carraher and Schleimann (2011), Mendes (2009), Esquincalha (2004) and PCN - Brasil (1998) among others. The research is characterized as an investigative qualitative nature and the objectives of the present study, of the descriptive-exploratory type, and the data collection was done through observations made at the fair, with the elaboration and application of interviews with four fairgrounds . After the data collection, an analysis was made of the reports of the marketers, investigating the mathematics used by them at the fair. With the result of the analysis it is noticed that some procedures done by these markets contain specific mathematical knowledge. We identified several forms of mathematical practice practiced by the city's fairgrounds, characterizing them as popular knowledge that can be structured as a scientific mathematics, contributing both to the development of society and the academic milieu. In addition, mathematical knowledge is obtained both in and outside the school environment, and the mathematical knowledge that the fair conveys to us is constituted in problem situations found in that environment. We understand that the marketers use their mathematical knowledge in the fair, is a mathematics that was developed from school and non-school learning, because not all subjects interviewed have some degree of education, but also by work activities which are performed with various repetitions in their everyday lives. This study showed us that the fair can be an environment in which the teacher can use as a classroom, making it a tool for transmitting knowledge to its students.
Keywords: Etnomatemática
Conhecimento Matemático
Feira Livre
Ethnomathematics
Mathematical Knowledge
Free Fair
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::MATEMATICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraíba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências Exatas
metadata.dc.rights: Acesso aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/3400
Issue Date: 21-Nov-2017
Appears in Collections:TCC - Matemática - CCAE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JMF12122017.pdf352,74 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons