Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4315
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Segurança alimentar e nutricional de crianças do semi-árido brasileiro e sua relação socioeconômica e de saúde
metadata.dc.creator: Rocha, Elida Mara Braga
metadata.dc.contributor.advisor1: Lima, Roberto Teixeira de
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Almeida, Paulo César de
metadata.dc.description.resumo: As prevalências de insegurança alimentar (IA) são mais acentuadas no Norte e Nordeste do que no restante do Brasil, demonstrando a estagnação das desigualdades regionais históricas. A região do semi-árido se destaca por evidenciar as mais desfavoráveis condições de vida. Assim, o objetivo dessa pesquisa foi avaliar a situação de segurança alimentar e nutricional de crianças menores de cinco anos de idade, residentes no município de Crato, região do Cariri Cearense. Foram analisados dados socioeconômicos, demográficos, assistência de saúde e situação nutricional por meio de questionário pré-codificado e situação de segurança alimentar e nutricional a partir da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). A pesquisa teve um desenho do tipo transversal, de amostragem probabilística por conglomerado. As unidades amostrais, em primeiro plano, foram as Unidades Básicas de Saúde, obtidas por sorteio aleatório simples. Em segundo plano, envolveu as crianças que foram vacinadas no Dia D da segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação, em 14 de agosto de 2010, por amostragem sistemática. Foi realizada associação entre as condições sócio-econômicas, condições de saúde e de nutrição com a situação de insegurança alimentar por meio de teste Qui-Quadrado (c2), fixando o p < 0,05. As Razões de Chance (RC), Intervalo de Confiança de 95% e respectivos valores de p foram calculados para regressão logística múltipla, haja vista a análise de fator de risco para IA. Os resultados são referentes a 370 responsáveis de crianças, demonstrando que 58,1% das famílias se encontravam em IA, sendo 33,2% com IA Leve. Na área rural as chances de IA foram maiores que na área urbana (RC=2,2), porém, a gravidade de IA foi maior na área urbana (7,9%), com p<0,05. As condições de baixa escolaridade e cor não-branca do responsável, baixa renda per capita, baixa classificação social, utilização de benefício social, elevado número de moradores e crianças menores de cinco anos por domicílio foram significativamente associadas a IA. A regressão logística apontou como indicadores de maior impacto para IA: no nível socioeconômico, a renda familiar per capita; no nível de assistência em saúde, a visita do Agente Comunitário de Saúde e cobertura da Estratégia Saúde da Família, pré-natal com número de consultas insuficientes e falta de educação alimentar; e, no nível de morbidades, destaca-se a ocorrência de febre e tosse nos últimos 15 dias. Não houve associação de desnutrição nem de sobrepeso com a IA, mas foi observada a alta prevalência de sobrepeso em detrimento da desnutrição, caracterizando a rápida transição nutricional presente também nesta região. Assim, a EBIA se mostrou como indicador de vulnerabilidade social, dissociado dos distúrbios nutricionais. Apesar disso, percebe-se a necessidade de programas direcionados à educação alimentar dessas famílias e adequação das ações sociais e de saúde para as populações em IA.
Abstract: The prevalence of food insecurity (FI) are more significant in the North and Northeast than in the rest of Brazil, demonstrating the stagnation of the historical regional inequalities. The semi-arid stands out for evidencing the more unfavorable life conditions. Thus, the objective of this research was to evaluate the food security situation of children under five years old, resident in the municipality of Crato, Cariri region of the state of Ceara. It was analyzed socioeconomic, demographic, health assistance and nutritional situation data through a precodified questionnaire and the food security situation applying the Food Insecurity Brazilian Scale (EBIA). The research had a transversal design, with probabilistic cluster sampling. The sample unities, in first place, were the Health Basic Unities, obtained by simple random drawing. In second place, it involved the children that were vaccinated in the D Day of the second phase of the National Immunization Campaign, in august 14th of 2010, by systematic sampling. It was performed the association among the socioeconomic, health and nutrition conditions with the food insecurity through Chi-Square test (c2), setting p<0.05. The odds ratio (OR), with confident interval of 95% and respective p values were calculated to the multiple logistic regression, since the risk factor analysis to FI. The results are referent to 370 children s responsibles, demonstrating that 58.1% of families were in FI, being 33.2% with low FI. In rural areas, the odds ratio were higher than in urban area (OR = 2.2), however the gravity of FI was higher in the urban area (7.9%) with p<0.05. The low scholarity conditions and the non white race of the responsible, the low per capita income, the low social classification, the using of the social benefits, the elevated numbers of residents and children under fiver years old per home were significant associated with FI. The logistic regression pointed as indicator of higher impact to FI: the socioeconomic level, the familiar income per capita; the level of health assistance, the visit of the Health Community Agent and the Family and Health Strategic cover, prenatal with insufficient number of consults and lack of nutritional education; and, in the level of morbidity, it there is the occurrence of fever and cough in the last 15 days. There was not association of malnutrition or overweight with FI, but it was observed the high prevalence of overweight over malnutrition, characterizing rapid nutritional transition also presented in this region. Therefore, the EBIA proved itself as indicator of the social vulnerability, disassociated with nutritional disturbs. Nevertheless, it is perceived the necessity of programs directed to nutritional education of these families and the adequacy of social and health actions to the population with FI.
Keywords: Segurança alimentar e nutricional
Fatores socioeconômicos
Saúde da criança
Semiárido
Food security
Socioeconomic factores
Child health
Semi-arid
metadata.dc.subject.cnpq: CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Nutrição
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Nutrição
Citation: ROCHA, Elida Mara Braga. Segurança alimentar e nutricional de crianças do semi-árido brasileiro e sua relação socioeconômica e de saúde. 2011. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Nutrição) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2011.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4315
Issue Date: 25-Mar-2011
Appears in Collections:Centro de Ciências da Saúde (CCS) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf1,87 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.