Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4487
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Fronteiras do medo: semelhanças produtivas e diferenças culturais em Ringu e o Chamado
metadata.dc.creator: Maciel, Filipe Tavares Falcão
metadata.dc.contributor.advisor1: Soares, Thiago
metadata.dc.description.resumo: Formatado a partir do lançamento do filme Ringu, de 1998, o horror japonês contemporâneo, ou J Horror, tornou-se uma forma de endereçamento fílmica para o Ocidente. As obras japonesas geraram um modelo de produção de sentido logo descoberto e exportado por Hollywood com refilmagens para um público internacional. Que a produção de um remake gera diferenças entre o filme original e a refilmagem, não há dúvidas. Mas, ao analisar o cinema de terror como entretenimento, é possível perceber muito mais do que apenas diferenças fílmicas em função de aspectos culturais. Trabalhamos nossa análise na perspectiva de que há reenquadramentos temáticos nas refilmagens de obras uma vez que as mesmas fazem parte de uma lógica produtiva da indústria do cinema como entretenimento. Além das comparações entre Ringu e sua refilmagem norte-americana, O Chamado, esta pesquisa pretende se debruçar, em particular, nos aspectos extratextuais do cinema como entretenimento em cada nação, o que faz necessário debater elementos de produção, distribuição e exibição. Por meio desta tríade, além do entorno cultural, talvez seja possível, por exemplo, compreender as mudanças feitas nas refilmagens em função de obter um alargamento de um público internacional ao qual o remake é destinado em comparação com o produto original, que costuma ser exibido apenas no Japão.
Abstract: Since the release of the film Ringu, in 1998, the Japanese contemporary horror cinema, or J Horror, became a filmic addressing form for the West. These Japanese horror movies have created a way of production that was soon "discovered" and exported by Hollywood through remakes for international audiences. The fact that the production of a remake will present differences between the original film and the new version is clear and doubtless. When these horror films are analysed as entertainment, it is possible to study much more than just filmic differences presented by cultural aspects. We developed our analysis in the perspective that there are reframings in the remakes of the movies as this means part of a productive logic way of the film industry as entertainment. In addition to the comparisons between Ringu and its American remake, The Ring, this research aims to develop the elements of production, distribution and exhibition as these three topics answer the aspects of the cinema as an industry. Through this triad, besides the cultural environment, it may be possible, for example, to find answers to suggest the changes we can notice in the remakes due to get an extension of an international audience as the original movie is usually released only in Japan.
Keywords: Cinema de Terror
J Horror
Entretenimento
Japão
Estados Unidos
Estudos Culturais
Horror Film
J Horror
Entertainment
United States
Japan
Cultural Studies
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
metadata.dc.publisher.initials: UFPB
metadata.dc.publisher.department: Comunicação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós Graduação em Comunicação
Citation: MACIEL, Filipe Tavares Falcão. Fronteiras do medo: semelhanças produtivas e diferenças culturais em Ringu e o Chamado. 2014. 145 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2014.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/4487
Issue Date: 27-Feb-2014
Appears in Collections:Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivototal.pdf3,28 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.